Bom Jardim Notícias.com

Empresa choca lançando o refrigerante de maconha

Empresa choca lançando o refrigerante de maconha

Uma nova linha de refrigerantes, sabor maconha, pretende ser conhecida como a “maconha refrescante”.

Isso porque cada garrafa de 12-ounces (aprox. 340 gramas) de Canna-cola conterá 35-65 miligramas de THC (tetraidrocanabinol), um ingrediente psicoativo presente na maconha. O produto promete gerar polêmica, já que a dose medicinal de maconha é cerca de 25 miligramas. Em seu lançamento, a previsão é de que cada garrafa custe em torno de $10 a $15.

A Canna-cola faz parte de uma família de bebidas que incluem o Dr. Pepper, Doc Weed, Sour Diesel, Grape Ape e Orange Kush, e é uma ideia de Clay Butler, um artista comercial em Soquel, na Califórnia. Ele teve a ideia da criação e comercialização de um refrigerante que poderia ser uma experiência perfeita para a marca. “Há uma vasta gama de produtos disponíveis nesta categoria”, disse Butler ao AOL News. “Às vezes, você vai comprar um bolinho com apenas um rótulo impresso a laser que diz ‘Cookie’, sem outras informações – você nem sabe quem fez isso”.

Embora Butler diga que nunca fumou maconha, ele disse que foi motivado por saber que a Snapple, a Coca-cola ou a Minute Maid nunca fariam uma bebida de maconha, por isso optou em fazê-la. Canna-cola inclua folhas de maconha no logotipo, Butler acredita que sua ideia de uma folha feita de bolhas de sugerir um refrigerante é uma maneira mais digna de divulgação do que as dos concorrentes.

De acordo com Scott Riddell, o fundador do Diavolo Brands, os refrigerantes são supostamente mais saborosos. Ele diz que os níveis de THC em sua linha de refrigerantes estão substancialmente abaixo dos níveis de muitas bebidas disponíveis no mercado e compara seu produto a uma cerveja light. “Mas o fator gosto é insignificante em comparação com alguns concorrentes com três vezes mais THC, o que realmente provoca um sabor intenso.”

O produto será licenciado a empresas locais em estados que permitem que os o uso medicinal da maconha. “Vamos vender garrafas, rótulos e versões de THC-livre do refrigerante para os fabricantes locais e eles serão responsáveis por fazer os refrigerantes”, disse Butler. “É por isso que o preço de compra poderá variar.”

Butler afirma que, se todos os 50 estados, eventualmente, permitirem o uso medicinal da maconha, irão tornar a Canna-cola atraente para um conglomerado tão gigante quanto a Coca-Cola ou Pepsi, cujos clientes preferem comprar uma marca já existente a arriscar em uma nova.

Até agora, a reação da comunidade ao cannabis é positiva. Jordânia Radach, que é um gerente assistente no Banco Dank, aprova a filosofia da marca de Butler. “Eu gosto de como eles não estão no mercado na forma hippie-amalucada”, disse Radach ao AOL News.  “Muitas empresas fazem isso em detrimento do aspecto medicinal”.  Ele também aprova a concentração inferior de THC.

“Há outros refrigerantes de cannabis ao redor, mas eles têm alta concentração de THC e um forte sabor residual. Basicamente, eles têm gosto de merda”, disse ele.  “São como ervas daninhas em uma garrafa.”

Por outro lado, Steve Bloom, que dirige o CelebStoner.com, acredita que o produto não alcançará a sucesso que Butler deseja. “Acho que esta é uma ótima idéia, mas só interessa às pessoas que vivem nos estados com permissão”, disse Bloom.  “Isso é Colorado, Califórnia e talvez Montana. Ela não pode ir por todo o país, porque a maconha é ilegal e provavelmente ainda será por algum tempo. Se ele não passar na Califórnia, não irá passar em outros estados.”

Fonte: jornalciencia

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta