Bom Jardim Notícias.com

Como surgiu o dia de finados.

Como surgiu o dia de finados.

Milhões de pessoas em todo o mundo guardam o dia 2 de novembro para render suas homenagens aos mortos. A celebração da data tem origem na Igreja Católica, mas os celtas tinham em seu calendário uma festa conhecida como Samhain, em que eram rendidas homenagens aos vivos e também às pessoas que já se foram.

Surgida de um encontro entre a cultura celta e o cristianismo, a prática de celebrar os finados é comum desde o século I depois de Cristo, quando os cristãos já rezavam pelos entes queridos falecidos e costumavam visitar os túmulos dos mártires nas catacumbas para orar pelos que faleceram sem martírio.

No século IV, a memória dos mortos passou a ser celebrada nas missas e, a partir do século V, a Igreja Católica começou a dedicar um dia por ano para render homenagens a todos os finados.

O dia 2 de novembro passou a ser atribuído às celebrações dos finados a partir do século XIII, logo após a festa de “Todos os Santos”, comemorada no dia 1º de novembro, para celebrar todos os que morreram em estado de graça e não foram canonizados. Já o “Dia de Todos os Mortos” celebra aqueles que morreram e não são lembrados na oração.

As comemorações no Brasil estão inter-relacionadas com a Igreja Católica, sendo marcada por peregrinações aos cemitérios, onde as pessoas rendem homenagens póstumas a seus entes queridos.

No dia de Finados, as pessoas costumam enfeitar os túmulos de amigos e familiares com flores, além de acenderem velas e participarem de missas em memória daqueles que já se foram.

A data é considerada um dia muito triste, em que as pessoas voltam a sofrer a dor da perda, devido à saudade dos entes queridos.

Os crisântemos representam o sol e a chuva, a vida e a morte e, por serem flores mais resistentes, são muito usadas nos velórios. As velas significam a luz dos falecidos e tudo aquilo de bom que deixaram para quem ficou.

Comemorações em outros países

No México, o Dia de Finados ganha um destaque especial, porque é comemorado com uma festa que conta com grande participação popular, atraindo também um grande número de turistas.

Os mexicanos também comemoram a data hoje, mas encaram a morte de uma maneira diferente. Eles costumam fazer festas para zombar da morte, por acreditarem que as almas podem visitar seus parentes. Por esse motivo, o povo do México costuma construir altares em casa, que são enfeitados com flores, caveiras em papel maché, além de oferendas e retratos dos mortos.

O culto aos mortos está presente em quase todas as religiões e pode ser comprovado em registros datados da pré-história.  Em países budistas, por exemplo, os mortos são homenageados com procissões, músicas e desfiles de máscara – como é o caso da Tailândia. Já no Japão, os finados são lembrados com oferendas de arroz e algas – que servem como alimento para as almas.

Protestantes e evangélicos
Os cristãos protestantes e evangélicos dizem que a doutrina da Igreja Católica, que recomenda a oração pelos falecidos, não tem fundamento bíblico. Na visão deles, a Bíblia diz que a salvação de uma pessoa depende única e exclusivamente da sua fé, na graça salvadora de Jesus Cristo. Por isso, os protestantes e evangélicos observam o dia de Finados apenas para lembrar de coisas boas que os antepassados deixaram e entendem que todos devem ser cuidados enquanto estão vivos.

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta