Bom Jardim Notícias.com

Estudo mostra como o álcool vicia homens e mulheres

São Paulo – Um estudo realizado pela Ernest Gallo Clinic e pela Universidade da Califórnia, nos Estados Unidos, esclareceu o mecanismo do vício em álcool. Pela primeira vez, ele comprovou em seres humanos que a liberação de endorfinas, substâncias que o cérebro produz responsáveis pelo prazer, é a principal causa do problema.

Os estudiosos identificaram ainda as regiões do cérebro onde a endorfina é liberada. Até hoje, as experiências só haviam mostrado os efeitos da bebida em animais, sem grande detalhamento. De acordo com a pesquisa, publicada no periódico Science Translational Medicine, as endorfinas são liberadas nas regiões cerebrais do núcleo accumbens, ligado ao prazer, e do córtex órbito-frontal, parte do córtex pré-frontal responsável por processos cognitivos e de tomada de decisão.

Os testes foram feitos em dois grupos, um com 13 alcóolatras e 12 bebedores ocasionais, que se submeteram a tomografias para verificar a atividade cerebral durante o consumo de álcool. Assim, eles perceberam que, além de dar prazer, a bebida é capaz de modificar o cérebro de quem bebe regularmente, proporcionando cada vez mais prazer e, por consequência, levando à dependência.

Os estudiosos chegaram a essa conclusão ao ver que, quanto maior a quantidade de endorfina liberada no núcleo accumbens, maior era a sensação de prazer em ambos os grupos. Mas, quanto mais liberada no córtex órbito-frontal, mais o grupo alcoólatra ficava embriagado, fato que não ocorreu no grupo de bebedores com menor frequência.

Essa novidade pode ajudar na criação de novos remédios para tratar o alcoolismo com mais eficácia do que a naltrexona, usada atualmente para combater o vício. Segundo os pesquisadores, o problema desse medicamento é que ele não bloqueia as substâncias prazerosas liberadas apenas pelo álcool e, por isso, muitos pacientes abandonam o tratamento por causa da sensação que o remédio causa. Ao descobrir onde a dependência começa, poderá ser mais fácil encontrar um fim para ela.

Fonte: http://info.abril.com.br/ – via bomjardimnoticias.com

Artigos Relacionados

1 Comentário

  1. Jailda Costa
    31 de janeiro de 2012 às 21:47 Responder & darr;

    Infelizmente esse vício atua como uma válvula de escape para muitos cidadãos, principalmente os jovens, como também para aqueles que foram ou estão afetados por algum problema de ordem pessoal, profissional , material, enfim, situações do dia a dia que fogem do controle e que lamentavelmente, afogam suas mágoas, tristezas, decepções na bebida…É preocupante pois o hábito de beber quando não há mais controle a sociedade em geral também é afetada gerando graves conflitos, violência, entre outros… O poder público precisa criar programas de prevenção, controle e resgate daqueles que já foram acometidos por esse mal. Pensem nisso e colaborem!!!!!

Deixe uma resposta