Bom Jardim Notícias.com

Rogério Andrade – Biografia – Um bomjardinense que brilha.

Rogério Andrade – Biografia – Um bomjardinense que brilha.

ROGÉRIO ANDRADE
Rogério June de Andrade Lima
28/12/1948 (Bom Jardim)

Iniciou sua carreira musical ainda criança, no Grêmio Lítero Musical Bonjardinense, regido pelo maestro Manoel Pessoa dos Santos, o mestre Teté.

Ainda pequeno foi Garoto Revelação do Sax, ao participar do programa Gurilândia, um dos primeiros programas infantis da TV brasileira, na emissora que à época era a TV Jornal do Commercio, hoje TV Jornal e na Rádio Jornal do Commercio.

Bacharel em Direito, formado pela Universidade Católica de Pernambuco, técnico em marketing, pela FESP, gerente do Bandepe (atual Banco Real Santander), é também músico, compositor, cantor e arranjador, integrando o quadro de compositores da União Brasileira de Compositores (UBC), tendo fundado o Coral Bandepe e o Bloco Azulão.

Participou da Orquestra do Maestro Duda, como primeiro sax alto, líder do grupo musical Ritmo 7, integrou a Orquestra Popular do Recife, criada pelo escritor  Ariano Suassuna e participou ainda de diversos grupos musicais na época da bossa-nova, do tropicalismo, da MPB.

Experiência marcante para ele foi em uma de suas apresentações como saxofonista da Orquestra de Frevos do Recife no show do Quinteto Violado, em São Paulo, no Teatro da Universidade Católica, TUCA, e em Salvador, em 1973.

Idealizador da Casa de Bom Jardim, uma associação que congrega, no Recife, os bonjardinenses, da qual foi fundador e seu primeiro presidente.

Venceu o Festival de Músicas Carnavalescas da TV Globo, o Frevança, em 1979, na categoria frevo-de-rua com a música Carnaval em Bom Jardim.

Recebeu Placa de Ouro da Diretoria do Sport Club do Recife, em homenagem a sua composição Ninguém segura o Sport,  para o Carnaval de 1981.

Produziu o clip com a música A seleção no Recife, em parceria com o irmão Romero Andrade, uma homenagem à Seleção Brasileira Tetracampeã, veiculado, na ocasião, pela TV Globo.

Rogério Andrade é o autor da trilha sonora Família Bandepe, um comercial para televisão veiculado no Natal de 1977.

É autor também dos sucessos Carnaval no Português, para o Clube Português do Recife; Azulão do Bandepe, para o Bloco Azulão e Baile dos Artistas, para o baile realizado anualmente pelos artistas do Recife.

E ainda, em homenagem aos participantes do filme Central do Brasil, rodado em Cruzeiro do Nordeste, Pernambuco, e candidato ao Oscar 99, compôs a música Tô na tela.

Além disso, compôs a música que veio a ser escolhida, pela Prefeitura da Cidade do Recife, como tema do Baile Municipal, publicado no Diário Oficial de fevereiro de 2003, o frevo-canção Alegria, cor e paixão, veiculada através das emissoras de rádio e, também, transformada em comercial para televisão.

Integrou o disco Veio Mangaba, indicado ao Prêmio Sharp de 1998, com a música  A cachaça do pau, em parceria com Romero Andrade.

Participou também, com a música Forró varonil, do disco Forró pra 500 anos, do sanfoneiro Arlindo dos Oitos Baixos.

Recentemente, lançou o CD em que reúne todas as suas composições em homenagem ao seu clube, o Sport, além das músicas inéditas Sport – Campeão da Copa do Brasil – 2008 e Frevando na Ilha, que dá título ao disco.

Entre aqueles que interpretaram suas músicas, além de Arlindo dos Oitos Baixos, destacam-se também Walmir Chagas, Dóris Sandra, Nena Queiroga, Dora & Walquíria, Orquestra do Maestro Duda, Coral Bandepe, Banda da Cidade do Recife, Orquestra Maestro Edson Rodrigues, Zé da Flauta, e Genaro.

Outras obras

Vanguarda; Pare, olhe, escute meu frevo, parceria com Dimas Sedícias; Saffira no frevo, frevo-de-rua, homenagem à passista-mirim, Saffira, considerada a embaixatriz do frevo. Afixionado pelos esportes em geral, compôs as seguintes músicas Rivaldo – o melhor do mundo, homenagem ao pernambucano que conquistou os troféus de Melhor Jogador de Futebol do Mundo e Bola de Ouro; Salve Joana, Keila e Jessé, canção em homenagem aos atletas pernambucanos que se destacaram à medalha de ouro no pentatlo moderno-PAN 2007; Adriano, o Leão, outra homenagem ao atleta rubro-negro; Festa na Ilha, Galera Rubro-negra; Sport tricampeão; Sport tetracampeão, estas últimas em homenagem ao seu time do coração.

Fonte: MPB Compositores Pernambucanos – Coletânea bio-músico-fonográfica – 100 anos de história, Renato Phaelante, Cepe Editora, Recife, 2010.


Artigos Relacionados

1 Comentário

  1. Eva Souto Maior
    5 de fevereiro de 2012 às 15:19 Responder & darr;

    Que beleza! Como minha terrinha ten artistas famosos!. Rogério Andrade, filho de nossos amigos( já falecidos) Biu e Lourdes, desde menino revelava-se um grande músico. Animou muitos carnavais com meu velho pai, mestre Noventa.Pensava comigo mesmo: “este menino vai ter um futuro brilhante”.Lendo sua biografia, só comprovei o que pensava.Ele não deve se dignificar por ser de Bom Jardim, e sim, Bom Jardim é que se dignifica por ter filhos desse quilate.Parabéns, Rogério. Um abraço afetuoso , extensivo a suas tias e irmãos.

  2. Ernani Andrade
    7 de fevereiro de 2012 às 10:36 Responder & darr;

    Lembro-me desse cara! – É meu primo! Foi colega de turma no ginásio dirigido pelo poeta, escritor, folclorista Mario Souto Maior. Além do talento musical ele também era bom em matemática. Na classe disputávamos o 2º lugar no boletim geral (o primeiro era sempre do Braz).
    Abraços a todos conterrâneos!
    Ernani Andrade (ernani.andrade@hotmail.com)

Deixe uma resposta