Bom Jardim Notícias.com

Santas Missões

Foi em 1705 que os primeiros missionários capuchinhos de origem italiana se estabeleceram no Recife, no encargo de realizar missões por todo nordeste brasileiro. Dentre eles se destaca Frei Cassiano de Comacchio, um religioso de suma importância para as missões do século XIX, responsável pelo primeiro contato franciscano em Bom Jardim, que resultou na ampliação da igreja matriz e na realização de diversos projetos de caráter evangelizador.

 

Trechos do Jornal Diário de Pernambuco nos fazem comprovar tamanho prestígio de Frei Cassiano de Comacchio em suas expedições missionárias. É sumamente inquestionável a proporção das missões lideradas pelo estimado religioso, o número de pessoas que se faziam presentes, atraídas pelo ministério religioso e pelos benefícios materiais.
“Encaminham-se os povos circunvizinhos, atraídos a tão desusado e religioso movimento pela Santa Missão. A convite de algumas pessoas para ali se dirigiu o infatigável Frei Cassiano de Comacchio, um dos religiosos capuchinhos que tanto têm feito a esta Província e ao País. É a primeira vez que a voz de um Ministro do senhor faz-se ouvir naquelas paragens, despertando àqueles agrestes povos de seus pobres casebres, para em número de mais de seis mil pessoas afluírem para ouvirem a palavra do Ministro do Senhor. Muitas vezes jorros de ferventes lágrimas do auditório, filhas da compunção e arrependimento, interrompem o Orador sagrado em suas práticas espirituais.” (DIÁRIO DE PERNAMBUCO, 1881)
Chegava ao município algo que resultaria em inúmeras benfeitorias, oriundos da cúpula eclesiástica que chefiava o catolicismo bonjardinense. Na ocasião, o Padre Fabrício do Amaral na incumbência da paróquia recebe o auxílio da obra missionária dos capuchinhos, liderada pelo Frei Cassiano de Comacchio.
A comitiva de religiosos junto ao Frei Cassiano foi enviada no intuito de auxiliar nas atividades paroquiais, no ensejo houve a proposta de reforma e ampliação do templo. Foram três anos de obras ininterruptas em prol da edificação e do melhoramento do espaço físico da nova igreja, rematada parcialmente em 1876, beneficiando toda a população. Os senhores de engenho e as famílias de posse econômica, custearam grande parte da obra, representados nos altares laterais, tradicionalmente mantidos pelos seus sucessores. No dia do respectivo santo, a família responsável pelo altar era convocada para uma missa particular, tradição que durou longos anos e que hoje não se perpetua.
As santas missões vieram acompanhadas da influência arquitetônica européia, linhas e contornos que variam do estilo barroco ao toscano. São inúmeros elementos que exibem com precisão o mesclado dos estilos artísticos aplicados nas reconstruções, herança direta dos missionários que relacionavam o religioso atrelado ao social. O detalhamento das colunas e cornijas, nave única e capela-mor sobre aprofundamento, são evidências do neoclassicismo, movimento que influenciou a arte e a cultura ocidental até meados do século XIX, rebuscando a antiguidade clássica numa perspectiva de renovação expressiva, atingindo seu ápice por volta de 1830.
A estadia dos missionários em Bom Jardim provavelmente aconteceu da seguinte forma: Frei Cassiano, muito requisitado em inúmeras províncias do nordeste brasileiro, esteve no município no início e após conclusão das obras de melhoramento da igreja matriz, onde confiou o cumprimento da planta (das particularidades arquitetônicas na projeção do edifício) ao Frei Caetano de Messina.
“Fr. Caetano de Messina, depois de ter missionado com maior proveito em Pau d’Alho, Tracunhaém, Alagado do Carmo, Limoeiro, Bom Jardim, Nazaré e Palma. Entre os inúmeros bens, que com auxílio da palavra divina promoveu o zeloso ministro do senhor, devemos comemorar a realização de trezentos casamentos de concubinatos, e muitas reconciliações de inimigos mais ou menos figadais.” (DIÁRIO DE PERNAMBUCO, 2002)
A população embalada ao ritmo dos capuchinhos acompanhava apreensiva, aguardando a conclusão daquilo que seria o símbolo da religiosidade local. Era algo totalmente inovador, que posteriormente seria destino de peregrinações de fiéis de toda região, envaidecidos e embasbacados pela grandiosidade e requinte da obra. Tornando o catolicismo cada vez mais sólido nas entranhas culturais do povo, que manifestava com fervor sua credulidade.
Trechos do Artigo: “Santas Missões: A Obra Missionária dos Capuchinhos em Bom Jardim Pernambuco.” Autoria: Bruno Barbosa de Araújo
Fonte: Matriz de Sant’ Ana – via bomjardimnoticias.com

Artigos Relacionados

1 Comentário

  1. Rogério Andrade
    15 de fevereiro de 2012 às 09:41 Responder & darr;

    Já subi e desci muito essas ladeiras, acompanhando as Santas Missões – Frei Damião, Frei Fernando – eu, Lourdes, minha mãe, Cacilda, Tezinha e a procissão a cantar “Quero morrer cantando em teu louvor……..qual rouxinol ……..etc, etc, etc.(quem souber essa letra, por favor me mande).”
    .
    Por isso, eu digo:

    “Oh, Bom Jardim querido
    Como é rica a tua história
    Cada dia aprendo mais
    Do teu passado de glórias”

    Viva Bom Jardim!

  2. Célio Borges
    15 de fevereiro de 2012 às 13:52 Responder & darr;

    Formosa és, Rainha Imaculada, fragrante lis, aurora divinal.
    Se os olhos meus um dia te olvidarem, ó Mãe então, recorda-te de mim.

    Quero morrer cantando os teus louvores, qual rouxinol que expira ao por do sol. Quando partida, a minha pobre lira, te cantará meu triste coração. (Refrão)

    Formosa és, ó Mãe Imaculada,
    o próprio Deus te fez primor sem par. Tu tens do sol o brilho insuperável.
    O esplendor dos astros a brilhar.

    Formosa és, ó, Filha do teu Filho. Por Ele ornada de eternal candor.
    De tua virtude o mundo se enganala para hospedar o Filho Teu, Jesus.

    Formosa és, esposa sempre pura. Fornalha ardente do divino amor.
    Teu coração que o sol divino aquece de eterna vida é fonte perenal.

    É ESSA A MUSICA Rogério Andrade

  3. Bola de Fogo
    15 de fevereiro de 2012 às 18:14 Responder & darr;

    O biato mais famoso de Bom Jardim lhes enviou, pois agora não perde nem um tipo de movimento da igreja catolica, pois usa a igreja para fazer seu palanque eleitoreiro, por isso ele sabe de todas as rezas da igreja, inclusive reza até difunto.

  4. Célio Borges
    15 de fevereiro de 2012 às 20:59 Responder & darr;

    Obrigado pelo elogio Bola de Fogo vc deve ser o catimbozeiro que tanto te maltrataram e hoje esqueceu de tudo.Personalidade e Caráter não é para todo mundo sou uma pessoa de uma Personalidade unica, sempre tive posições na minha vida, nunca precisei me vender. Sou sim com todo orgulho Católico não Biato nem Barata de Igreja, fui criado dentro uma Família Católica Apostólica e Romana meu Avô Olivar Borges foi sacristão por mais de 40 anos da Igreja Matriz de Santana depois ficou no seu lugar meu Tio Zé Borges então aprendi muitas coisas com esses dois grandes homem pobres e humilde mais de muito caráter, respeitados por todos os bonjardinenses não tinha um único inimigo sempre trabalhou honestamente para sustentar sua família foram exemplos em Bom Jardim.

    Então aprendi sim os princípios religiosos com meu Tio Zé e meu Avô Olivar, posso até rezar defunto se precisar com todo respeito aos que não estão mais em nosso mundo, nunca precisamos de fazer palanque eleitoreiro dentro da Igreja, nunca expulsamos padres de Bom Jardim deixamos sempre todos os Padre sempre a vontade sem pressão alguma e quando precisam do Poder Executivo servimos a medida do possível sem fazer propaganda e anunciar nos quatros cantos como sempre acontecia, não usamos destas medidas tão baixas, não queiram misturar as coisas e dizer que somos iguais a vocês, porque Graças a Deus não temos essa índole tão satânica de só querer planejar fazer o mal ao próximo.

    Me Batizei em 1982, fiz minha Primeira Comunhão em 1992, me Crismei em 2000, Sempre independente de está fazendo parte de um Grupo Politico participei dos movimentos da Igreja Matriz de Nossa Senhora Santana: Fui Coroinha desde o tempo do Padre Raimundo que saiu 1989, Padre Joaquim que só passou um mês , Padre Marcos em 1990, passou um Ano, Padre Mesquita que apanhou em Bom jardim nos Freitas e sabemos quem mandou fazer isso, Padre Manoel dos Reis que passou alguns meses que hoje é Bispo de Petrolina, Padre João Ribeiro de João Alfredo que passou alguns meses também, Padre Jaci de Carpina que passou pouco tempo também, Padre Severino Correia que chegou em 1993 e saiu em 2000, Padre Henriques que começou a quebrar uma panelinha que existia dentro da Igreja palavras do próprio Padre Henrique na festa de São Sebastião de 2000 que também foi expulso de Bom Jardim só passou alguns meses, Padre Jair que chegou no ano de 2000 e saiu em 2004 só Deus sabe o porque da sua Saída. Participei também do CJC Comunidade de Jovens Cristãos que tinha a sua frente o Padre Genario Augusto de Melo, fiz parte da Escola Fé e Politica fui escolhido pelas Pastorais da Igreja e pelo Padre Jair Honório em 2004 para fazer partir deste movimento da CNBB – Confederação Nacional dos Bispos do Brasil cada Diocese tinha seu representantes e a Diocese de Nazaré da Mata me indicou na época para representa – la com as demais Dioceses do Estado de Pernambuco, Alagoas, Paraíba que faz partir da CNBB do Nordeste 2.

    A partir dai no ano de 2005 quando João Lira assume a Prefeitura com a Chegada de um Novo Tempo em Bom Jardim foi quando as coisas começaram a mudar e hoje essa pagina negra da historia de Bom Jardim foi rasgada e queimada só restou as cinzas e as lembranças com as cicatrizes de tantas injustiças, não existia a justiça dos Homens os direitos dos cidadãos não eram respeitados a Justiça só tinha uma face, quem não fosse amigo do Rei não tinha Direito Algum. Hoje tudo mudou a democracia existe de verdade mesmo quando se comete alguma injustiça logo é resolvido no acordo ou com a própria justiça que hoje não é mais cega.

    Posso dizer esse desabafo porque passei na pele tudo isso, como muitos iguais a me também passaram até coisas piores, mais nem por isso fiquei com ódio no meu Coração e nunca quis a revanche e me vingar de ninguém até porque o povo já deu a resposta Quem Planta o vento Colhe tempestade, isso estão colhendo até hoje.

    Tenham coragem de mostrar suas faces todos que se escondem e só tem coragem de fazer oposição aqui, venham para as Rádios, para as Ruas, não façam panfletos anônimos assinem, tenha dignidade respeito as pessoas não se esconda como um fantasma, tire a sua mascara negra, vocês devem ter muito medo de dizer quem é, deve ter feito tanto mau ao Povo de Bom Jardim que não tem coragem de enfrentar as pessoas Cara a Cara Olho no Olho.

  5. Rogério Andrade
    15 de fevereiro de 2012 às 21:51 Responder & darr;

    Obrigado, pela letra Célio Borges. Valeu!

Deixe uma resposta