Bom Jardim Notícias.com

Traição: Carne fraca ou safadeza?

Traição: Carne fraca ou safadeza?

Normalmente as pessoas que traem seus parceiros, dizem que foi porque a carne foi fraca, e ao ver aquela oportunidade de sexo casual não conseguiram se segurar e acabaram traindo. Muitos outros dizem que a traição foi planejada, mas ao realizar o ato acabam se arrependendo.

Mas existe aqueles que nasceu para trair, não conseguem de maneira alguma viver uma relação sem trair o parceiro(a), e quando é descoberto nega até a morte.

Quando surge uma conversa íntima e freqüente – para ele ou para ela, este é o primeiro estágio da infidelidade, segundo pesquisa da psicanalista americana Debbie Layton-Tholl com 3.400 homens e mulheres casados e com assumidos casos extraconjugais.

Segundo a pesquisa, os casais infiéis costumam seguir um padrão. Depois da primeira fase, o segundo passo é manter segredo sobre aquela relação excitante para que as fantasias se tornem cada vez mais poderosas. O terceiro estágio são almoços em público, mas comportando-se como bons amigos. E, por fim, para os que decidem romper o casamento, um caso de tórridas relações sexuais, até que tudo volte ao cotidiano. Mais de 30% dos casais americanos vivem habitualmente histórias deste tipo, segundo Layton-Tholl.

Segundo a psicóloga Clara Feldman disse em um dos seus livros, ”alguns argumentam que a qualidade do relacionamento não está boa, que se sentem insatisfeitos com a relação, outros porque apresentam a ‘síndrome do pavão’, aquele que seduz pelo simples fato de seduzir e depois abandona a pessoa.

A psicóloga cita o que chama de ética da traição. Aconselha a Bíblia a “não pecar por pensamentos, palavras, atos e omissões. Existem pessoas que se sentem traídas só quando existe sexo e outras com olhares. Mas quem cerceia a liberdade do outro corre mais riscos de ser traído. A pergunta é: em uma relação bem estruturada onde o diálogo permeia a relação, qual o dano que a traição por palavras, pensamento e omissões pode trazer?” questiona. Há dez anos, o sexólogo europeu Willy Passini pesquisou mais de mil mulheres e homens, perguntando o que eles preferiam: que seu parceiro transasse com ele pensando em outro ou transasse com outro pensando nele Resultado: Homens preferiam que as companheiras transassem com eles pensando em outro homem e as mulheres preferiam que seus parceiros transassem com outras pensando nelas  Infidelidade é um conceito abstrato.

Quem ama trai?

Na minha humilde opinião, quem realmente ama nunca vai trair seu parceiro (a) por mais que a ocasião seja perfeita para consumar o ato, quando a pessoa ama, ela não da espaço para outra pessoa entrar e fazer a sua cabeça, ou mesmo ficar pensando em coisas do tipo, ela se renuncia a este tipo de sentimento para não machucar a pessoa amada e consequentemente se perder naquilo que pode simplesmente não passar de uma ilusão.

Mas já ouvi muitos dizendo que ama seu namorado (a) ou marido (a), mas mesmo assim não conseguem ficar sem trair, se escondem atrás de um sentimento que não sabem exatamente o que é.

Finalizando o meu conceito sobre traição, eu acho que traição não passa de safadeza, não existe esta de dizer que a carne foi fraca, na verdade você queria aquilo tanto quanto a pessoa com quem consumou o ato.

Fonte – http://www.omagnatta.com

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta