Bom Jardim Notícias.com

Evangelho do dia: Deus não castiga, ao contrário é muito paciente

Evangelho do dia: Deus não castiga, ao contrário é muito paciente

Os problemas que temos na vida muitas vezes são todos amarrados em fardos e colocados sobre os ombros de Deus, mesmo sem Ele ter culpa. Isso é a cena de Jesus carregando a Sua Cruz por causa de nossos pecados. Somos assim, costumamos colocar a culpa dos problemas que temos, das dificuldades que aparecem e principalmente de escolhas mal feitas que NÓS fizemos, em Deus. Se acontece uma coisinha de nada de ruim, a culpa é logo de Deus e começamos logo a dizer “Deus é ruim”, “porque Deus deixou que isso acontecesse comigo”, “Deus não gosta de mim” e por ai vai. Entretanto nenhum mal é vontade de Deus, Deus não castiga, Ele só permite e é, ao contrário do que os que vivem na ignorância pensam, nesses acontecimentos se revela a paciente misericórdia de Deus

Lucas 13, 1-9

1.Neste mesmo tempo contavam alguns o que tinha acontecido a certos galileus, cujo sangue Pilatos misturara com os seus sacrifícios. 2.Jesus toma a palavra e lhes pergunta: Pensais vós que estes galileus foram maiores pecadores do que todos os outros galileus, por terem sido tratados desse modo? 3.Não, digo-vos. Mas se não vos arrependerdes, perecereis todos do mesmo modo. 4.Ou cuidais que aqueles dezoito homens, sobre os quais caiu a torre de Siloé e os matou, foram mais culpados do que todos os demais habitantes de Jerusalém? 5.Não, digo-vos. Mas se não vos arrependerdes, perecereis todos do mesmo modo. 6.Disse-lhes também esta comparação: Um homem havia plantado uma figueira na sua vinha, e, indo buscar fruto, não o achou. 7.Disse ao viticultor: – Eis que três anos há que venho procurando fruto nesta figueira e não o acho. Corta-a; para que ainda ocupa inutilmente o terreno? 8.Mas o viticultor respondeu: – Senhor, deixa-a ainda este ano; eu lhe cavarei em redor e lhe deitarei adubo. 9.Talvez depois disto dê frutos. Caso contrário, cortá-la-ás. (Lc 13, 1-9)

Deus é Misericordioso com todo mundo

Esse evangelho pode ser dividido em duas partes ara ser melhor compreendido do versículo 1 até o 5 e do 6 ao 9. A primeira parte tem como tema o pensamento da época que Jesus viveu, que trata os problemas ou coisas ruins que acontecem como um mal dado por Deus. Os pensavam que a quantidade de coisas ruins que acontecia com uma pessoa determinava o quanto ela era pecadora e quanto mais pecado mais castigo Deus dava como uma forma de repressão para manter todos na linha, logo o respeito não vinha por amor e sim por medo.

Mas Jesus vem quebrar essa mentalidade e, intrometido do bem do jeito que é, tomou a palavra e começou a explicar que tal atrocidade não tinha nada a ver com os desígnios de Deus. Se Deus agisse dessa forma seria uma grande contradição de Sua parte, mas sabemos que é Perfeito e Bom para com todos.

Jesus nunca nos enganou sobre nada, sempre foi direto nos libertando para a liberdade e mostrando a realidade:

Referi-vos essas coisas para que tenhais a paz em mim. No mundo haveis de ter aflições. Coragem! Eu venci o mundo. (Jo 16, 33)

Em seguida, dirigiu-se a todos: Se alguém quer vir após mim, renegue-se a si mesmo, tome cada dia a sua cruz e siga-me. (Lc 9, 23)

Outra passagem nos mostra o que realmente é a vontade de Deus:

2.Os seus discípulos indagaram dele: Mestre, quem pecou, este homem ou seus pais, para que nascesse cego? 3.Jesus respondeu: Nem este pecou nem seus pais, mas é necessário que nele se manifestem as obras de Deus. (Jo 9, 2-3)

Deus usa os maus acontecimentos para nos ensinar a viver melhor, não como um castigo, mas como um aviso, uma correção, para que possamos abrir os nossos olhos e mudar de direção.

Aprenda com esta parábola

A segunda parte trata da parábola da figueira. Essa parábola fala que existe uma figueira que está ocupando espaço e não está rendendo os frutos esperados. Existe o homem, o dono que quer cortá-la e o agricultor. Nós somos a figueira que muitas vezes não dá o devido fruto, somos inconstantes, mortos para a verdade nem que seja por algum instante. O homem é Deus Pai que quer fazer justiça, mas existe o agricultor que intercede pela figueira e pede mais tempo, prometendo cuidar dela para que ela der fruto, se ela não frutificar aí sim o corte acontecerá.

Aqui vemos o quanto Deus é misericordioso conosco, pois, colocamos a culpa n’Ele, queremos mais do que merecemos, e ainda não contribuímos com projeto da salvação frutificando nossos dons para honra e glória do Senhor, e mesmo assim Jesus ainda intercede por nós, cuida de nós, nos rega com Seu Sangue para ver se muda alguma coisa. Se não fosse isso já teríamos ido pro beleleu… Jesus é nosso Sumo Sacerdote:

1.Em verdade, todo pontífice é escolhido entre os homens e constituído a favor dos homens como mediador nas coisas que dizem respeito a Deus, para oferecer dons e sacrifícios pelos pecados. 2.Sabe compadecer-se dos que estão na ignorância e no erro, porque também ele está cercado de fraqueza. 3.Por isso, ele deve oferecer sacrifícios tanto pelos próprios pecados quanto pelos pecados do povo. 4.Ninguém se apropria desta honra, senão somente aquele que é chamado por Deus, como Aarão. 5.Assim também Cristo não se atribuiu a si mesmo a glória de ser pontífice. Esta lhe foi dada por aquele que lhe disse: Tu és meu Filho, eu hoje te gerei (Sl 2,7), 6.como também diz em outra passagem: Tu és sacerdote eternamente, segundo a ordem de Melquisedec (Sl 109,4). (Hb 5, 1-6)

A paciência é um dom e vem de Deus, logo Deus é perfeito em esperar é só ver quantas vezes erramos num dia, essa vai ser a quantidade de vezes que Deus vai ter nos perdoado. Mas não abusemos da Misericórdia do Senhor, pois ela também se manifesta na justiça, pois seria uma injustiça muito grande dar o mesmo valor entre quem busca a Deus e quem não busca.

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta