Bom Jardim Notícias.com

Morrer em São Paulo pode custar mais de R$ 13 mil. Veja preços por serviço

Morrer em São Paulo pode custar mais de R$ 13 mil. Veja preços por serviço

Morrer em São Paulo pode custar de R$ 90 a  R$ 13.152, de acordo com o tipo de caixão, transporte e de outros procedimentos funerários, como os adornos do sepultamento. Foi o que constatou a reportagem do R7 ao montar o pacote máximo do serviço, a partir da tabela oficial da Prefeitura Municipal de São Paulo – veja preços no quadro abaixo.
O modelo da urna funerária corresponde ao maior gasto, também por ocasionar uma maior taxa cobrada para o enterro. As urnas especiais, feitas sob medida para finados altos ou obesos, por exemplo, chegam a custar R$ 8.292, já que incluem armação e madeira de primeira qualidade.Quanto maior o preço do caixão, mais altas serão as taxas. Por isso, o adeus mais barato sai R$ 90,45, sendo R$ 13,70 do caixão e o restante reservado a taxas relacionadas a transporte e ornamentos e velas. A taxa é de R$ 15,80 para o velório.O coordenador do Instituto de Psicologia da Universidade Federal da Bahia, Jorge Salles, explica que é difícil ver uma relação entre os serviços contratados para o sepultamento e a superação do luto dos parentes. Para ele, no entanto, a ideia de enterro digno pode estar ligada à faixa de renda dos familiares que perdem o ente querido.
— A superação da perda de uma pessoa próxima depende também de como essa perda foi, como acidente, doença terminal, ou mesmo casos mais difíceis, como os ligados à violência. Os parentes procuram dar o melhor velório possível, mas é difícil afirmar qual o impacto que um “velório de luxo” tem sobre a elaboração do luto ou os reflexos dos gastos sobre o trauma.
Cremação
Morrem 250 pessoas por dia na capital paulista, das quais 130 são sepultadas e 25 são cremadas. O restante inclui corpos de outros municípios, de acordo com a prefeitura.
Além de não ser largamente usada pelo paulistano, a cremação é mais cara que o enterro. A diferença de preço entre o sepultamento mais barato e a cremação mais em conta é de R$ 206,50.
Com a urna funerária mais cara, a diferença aumenta. Com todos os serviços opcionais, o valor do funeral pode chegar até R$ 13.152,05 com sepultamento ou R$ 15.370,30 com cremação — uma diferença de R$ 2.217,95.
Em ambos os casos, o serviço inclui coroas de flores, enfeite floral na urna funerária, mesa de condolências, velas e velório municipal.
Serviço gratuito
O enterro pode sair de graça para famílias que comprovarem que não têm como arcar com as despesas. Como todos os serviços funerários são realizados por agências municipais ligadas ao poder municipal, a arrecadação é utilizada justamente para bancar aqueles que literalmente não têm onde cair morto.
Para o sepultamento gratuito, basta a família ir à funerária e alegar que não tem condições para pagar. Não é necessária a apresentação de comprovantes de renda ou de atestado de pobreza.
O sepultamento gratuito conta com os serviços mais singelos, mas a família tem direito a uma coroa de flores e a 30 minutos de exposição na capela do cemitério para despedidas.
Nos velórios gratuitos, o morto poderá ser enterrado somente nos cemitérios públicos Vila Formosa, na zona leste da capital paulista, São Luís, zona sul, Vila Nova Cachoeirinha, zona norte, e Dom Bosco, na zona oeste.
Nesses casos, o corpo fica três anos no cemitério e a família deverá, ao fim do aluguel, transferir os restos mortais a um ossário geral. A prefeitura doa seus serviços funerários para quem doa órgãos.
A família do doador de órgãos para transplante médico não precisa pagar caixão, transporte, velório e sepultamento. Véu, velas e flores também são grátis.
Cuidados
Todos os serviços funerários de São Paulo são realizados por agências municipais — ou seja, sob o controle da prefeitura, e por isso nenhum serviço oferecido por terceiros em hospitais ou cemitérios devem ser aceitos. Tudo deve ser contratado na agência, onde há a emissão de nota fiscal.
Um familiar de primeiro grau é quem deve tocar os procedimentos da despedida, já que tem maior conhecimento sobre o morto e dados relevantes para o sepultamento, como altura e peso para montagem do caixão.
Formas de pagamento
O pagamento pode ser feito em dinheiro, cheques ou cartões de débito e crédito. É possível parcelar a compra em até três vezes por meio do cartão. A encomenda de flores pela agência só pode ser paga à vista. Vale lembrar que muitas empresas e seguradoras cobrem despesas funerárias.
De acordo com a prefeitura, a agência é quem deve remover o corpo, num tempo máximo de três horas.

A Plade em Bom Jardim-PE, do nosso amigo Jotinha está muito mais barto, em morre em nossa cidade é menos prejuízo.

 DO R7

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta