Bom Jardim Notícias.com

ONU elogia novo passo do Brasil no tratamento da Aids

ONU elogia novo passo do Brasil no tratamento da Aids

O Brasil mantém o pioneirismo na luta contra a Aids ao anunciar que oferecerá tratamento a todos os portadores do vírus HIV, independentemente do estágio da doença, segundo o Programa Conjunto das Nações Unidas sobre HIV/AIDS (Unaids).

131104111947_hiv_aids_464x261_gettyimages

Soropositivos passarão a receber medicamentos antirretrovirais assim que a doença tiver sido diagnosticada.

Até agora, o país vinha oferecendo tratamento antirretroviral pela sua rede pública apenas quando a contagem das células de defesa (CD4) do paciente caía para abaixo do patamar de 500 células por milímetro cúbico de sangue.

Em junho, a Organização Mundial da Saúde (OMS) recomendou que os países oferecessem tratamento a pacientes com Aids a partir do momento em que o sistema imunológico apresentasse este patamar.

O Brasil já vinha oferecendo tratamento neste nível desde agosto do ano passado.

‘Liderança’

Mas agora, com o anúncio do Ministério da Saúde, o Brasil passa a ser o primeiro país em desenvolvimento a oferecer terapia com retrovirais a todos os pacientes assim que a doença for diagnosticada.

Na prática, o Brasil será o terceiro país do mundo a deixar de condicionar o tratamento gratuito ao número de células de defesa do paciente.

Programas semelhantes de tratamento independentemente do estágio da doença existem também na França e nos Estados Unidos, segundo o Unaids.

“O Brasil vai além da recomendação atual da Organização Mundial da Saúde”, disse à BBC Brasil Georgiana Braga-Orillard, coordenadora do Unaids, no Brasil. “Novamente o Brasil prova sua liderança na luta contra a Aids”, diz ela.

“Muitas pessoas fazem o teste, são diagnosticadas soropositivas e não voltam para fazer o tratamento. Quando retornam à rede de saúde, já estão com o número de CD4 muito baixo e começam o tratamento muito tarde. Isso deixa sequelas”, diz Braga-Orillard.

“O tratamento antirretroviral em um estágio mais precoce da doença permite que as pessoas vivam por mais tempo e em melhor saúde, e reduz substancialmente os riscos de transmissão do vírus”, afirma a OMS.

“Estudos demonstraram que o tratamento antirretroviral precoce pode reduzir o risco de transmissão do vírus em 96%” afirma o Unaids.

Protocolo

De acordo com o Ministério da Saúde, mais de 100 mil pessoas deverão ser beneficiadas com a expansão da oferta de tratamento. Atualmente, 313 mil recebem remédios.

Em outubro, o governo brasileiro submeteu a consulta pública o protocolo clínico que prevê o tratamento Aids logo após o diagnóstico da doença, qualquer que seja o nível de células de defesa do organismo.

Os detalhes do protocolo clínico serão concluídos até o final do ano, mas o Ministério da Saúde já anunciou que o tratamento precoce será oferecido em qualquer nível da doença.

Segundo a coordenadora do Unaids, ainda não é possível estimar o custo da ampliação do programa de tratamento da Aids no Brasil. Atualmente, R$ 770 milhões são destinados aos medicamentos contra a Aids, do total de R$ 1,2 bilhão do orçamento para lutar contra a doença.

Existem no Brasil, segundo estimativas do Unaids e do ministério da Saúde, entre 490 mil e 530 mil pessoas infectadas pelo vírus HIV, sendo que cerca de 135 mil delas não sabem que têm a doença ou nunca fizeram o teste.

Por ano, é registrada uma média de 36 mil novos casos, sendo que praticamente a metade deles se refere a homens jovens homossexuais.

De acordo com o ministério da Saúde, a taxa de prevalência de portadores de HIV no Brasil é de 0,4% da população geral. Entre os homens homossexuais, esse número sobe para 10,5%.

A taxa de prevalência chega a 15% da população geral no caso de jovens homossexuais com idade entre 15 e 27 anos no Estado de São Paulo.

O novo protocolo clínico anunciado pelo Brasil também prevê simplificar o coquetel de triterapia com um “medicamento três em um”. O tratamento em um único comprimido, que já existe na França, deverá estar disponível no Brasil em 2014.

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.