Bom Jardim Notícias.com

11 motivos para a corrida entrar na sua rotina agora

11 motivos para a corrida entrar na sua rotina agora

Que a corrida faz um bem danado você já sabe. Mas às vezes dá aquela preguiça de manhã e tudo que você quer é jogar o despertador longe. Para que você não desanime e se mantenha firme nos treinos, mostramos aqui uma lista de benefícios incríveis que a corrida traz para o seu corpo. É o gás que falta para lembrar que, sim, toda passada é importante.

Ilustração de homem correndo, raio x

Foto: iStock/Getty Images

Uma coisa é garantida. Os resultados dos exames médicos têm muito mais chances de vir sem causar sustos. Corredores têm melhores valores de pressão arterial, colesterol e triglicérides. A corrida ainda fortalece o sistema cardiovascular, deixa o coração mais eficiente e derrete a gordura. Nessa leva, também caem juntas, como num castelo de baralho, as cartas do diabetes e da síndrome metabólica. “O treinamento faz com que o coração do corredor se torne uma bomba mais eficiente. Ele aumenta o volume de sangue bombeado por minuto e gera uma melhora na qualidade de vida em geral. Os benefícios paralelos são evidenciados em fatores como o auxílio no controle de várias doenças crônicas, como hipertensão, diabetes e dislipidemia (colesterol ou triglicérides altos)”, conta a treinadora Isadora Martins, da The North Face Running Club.

Além disso, você sabe o que mais a corrida faz de bom para seu corpo? Confira a lista e se surpreenda!

1. Pensamento rápido

Brainstorming

Foto: iStock/Getty Images

Correr estimula a criação de novos neurônios. Isso é um baita benefício não só pela questão da quantidade, mas da eficiência. E por inúmeras razões. Primeiro, porque melhora sua capacidade mental. Segundo, porque ajuda a recuperar a memória, sendo um superaliado no combate ao Alzheimer. Por fim, minimiza o risco de depressão e de crises de ansiedade. Alguns estudos dão uma dica preciosa. Faça sua corrida logo após uma sessão de estudos, e você conseguirá reter melhor as informações. A hipótese é que o exercício estimula o corpo do mesmo jeito que uma experiência emocional, e essas costumam ser as memórias mais duradouras.

2. Joelhos fortes

Joelhos fortes

Foto: iStock/Getty Images

Apesar de o impacto ser várias vezes apontado como um grande vilão, a corrida não é ruim para os joelhos, pelo contrário. Pesquisadores australianos publicaram um estudo que mostrou que aqueles que se exercitavam vigorosamente tinham a cartilagem do joelho até mais grossa e saudável do que a de sedentários. “As cartilagens são nutridas pela circulação do líquido sinovial (produzido pelas articulações). Quando descarregamos o peso no joelho durante uma passada, esse líquido é expulso, e quando tiramos o pé do chão, a pressão na cartilagem diminui e uma nova lâmina de líquido volta a embebê-la, levando oxigênio e novos nutrientes”, explica Cássio Siqueira, fisioterapeuta da Run&Care.

3. Cama agitada

Pés de pessoas na cama transando, sexo

Foto: iStock/Getty Images

Cansado demais? Nada disso. Um estudo da Universidade da Califórnia (EUA) mostrou que homens que praticavam atividade física por uma hora, de três a quatro vezes por semana, tinham 30% mais relações sexuais que os amigos sedentários. E é sabido também que aqueles acima de 50 anos que correm pelo menos três horas por semana têm risco de impotência 30% menor que sedentários.

4. Visão preciosa

Olho verde, tecnologia

Foto: iStock/Getty Images

Seus olhos também são afetados positivamente pelos trotes e, acredite, o risco de ter catarata e glaucoma são menores. No caso do glaucoma, o risco diminui pelo menos 5% a cada quilômetro adicionado ao treino diário, de acordo com um estudo com mais de 50 mil corredores.

5. Ossos mais densos

Raio X de um homem forte

Foto: iStock/Getty Images

“Os ossos se beneficiam de cargas de compressão que acontecem na corrida. Quando há esse tipo de carga, o corpo responde aumentando a densidade mineral óssea e, assim, diminuem as chances de haver osteoporose”, indica Siqueira. “A corrida não é mais estressante para os joelhos ou os quadris do que outros tipos de atividade, e pessoas que permanecem ativas a vida toda apresentam, na verdade, menos sintomas da artrite”, completa Sara Mahoney, chefe do departamento de Ciência do Exercício da Bellarmine University (EUA).

6. “Vacina” natural

Seringa

Foto: iStock/Getty Images

Como fortalece o sistema imunológico, a frequência de gripes e resfriados é muito menor. Quem se exercita cinco ou mais vezes por semana chega a ter até 46% menos resfriados que os sedentários, aponta um relatório publicado no British Journal of Sports Medicine.

7. Doce vida (e sem diabetes)

moléculas coloridas

Foto: iStock/Getty Images

O exercício faz com que o corpo fique expert em inserir a insulina dentro do músculo, não deixando que ela fique em alta concentração no sangue. “Alguns estudos apontam que 30 min por dia de exercícios aeróbios de intensidade moderada seriam suficientes para reduzir o risco da intolerância à glicose pela metade e os riscos de diabetes em até três quartos”, diz Carlos Eduardo Felix Lopes, educador físico do hospital Albert Einstein (SP).

8. Bela adormecida

Um despertador na cama

Foto: iStock/Getty Images

Carolina Vicaria Rodrigues Daurea, fisioterapeuta do hospital Albert Einstein, explica que a regularidade do exercício pode realmente aumentar o período de sono, facilitar a indução e auxiliar na manutenção dele. “Fisiologicamente falando, a prática de exercício físico irá proporcionar aumento no percentual de sono REM (fase dos sonhos, responsável pela restauração da parte cognitiva) e da mais profunda do sono NREM (responsável pela restauração física), diminuição do número de despertares durante a noite e da latência de sono, ou seja, o tempo que uma pessoa demora para dormir, que deve ser inferior a 30 min”, diz.

9. Plenos ares

Mulher respirando fundo

Foto: iStock/Getty Images

A supercampeã Paula Radcliffe, agora aposentada, foi diagnosticada com asma aos 14 anos. Precisa dizer mais sobre o bem que a corrida faz para melhorar a capacidade dos pulmões e as funções respiratórias?

10. Audição apurada

Homem mostrando sua orelha

Foto: iStock/Getty Images

Até para ouvir melhor a corrida ajuda. O cientista Paul Loprinzi, da Universidade do Mississippi (EUA), fez um estudo com 1 082 mulheres. Ele descobriu que as que se exercitavam apresentavam melhor função auditiva em ambas as frequências, altas e baixas. A ideia é que o exercício melhora a circulação para o ouvido, levando mais nutrientes e ajudando a preservar a audição.

11. Vencendo o câncer

Mulher com câncer lutando com luvas de boxe

Foto: iStock/Getty Images

Os riscos de ter câncer no trato gastrintestinal, colorretal, mama, pulmões e até de pele são menores quanto mais intenso e regular é o exercício. O Instituto Nacional do Câncer (NCI), nos EUA, aponta que, no caso do colorretal e do endométrio, uma atividade intensa pode fazer o risco despencar em até 40%. Para o câncer de mama, de 30 min a 60 min diários mostram efeitos significativos. E se feito durante a adolescência, têm um papel de proteção também considerável.

E não só para prevenir, a corrida é um dos aliados para vencer definitivamente a doença. Pesquisas com quem se curou mostram que os índices de recorrência da doença diminuem consideravelmentepara quem faz atividades físicas depois do tratamento. Um estudo recente apontado pelo NCI afirma que o exercício vigoroso pode também retardar a progressão do câncer de próstata em homens com 65 anos ou mais.

Texto e Pesquisa: Marina Gomes | Edição: Victor Moura

Compartilhar

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta