Bom Jardim Notícias.com

Atitudes que ajudam a afastar o câncer de mama e outros tumores

Atitudes que ajudam a afastar o câncer de mama e outros tumores

Hábitos saudáveis são essenciais para diminuir a probabilidade de tumores malignos aparecerem. Saiba o que fazer para afastar os principais tipos de câncer

Em 2017, a estimativa é que 58 mil mulheres serão diagnosticadas com câncer de mama no Brasil. Felizmente, a grande maioria delas será curada – boa parte, graças à conscientização promovida pelo Outubro Rosa. Conheça as atitudes que podem fazer toda a diferença na luta contra esse e outros tipos da doença.

evitar-cancer-de-mama

Câncer de mama

2017: estimativa de 57 960 novos casos em mulheres.

Em 2014: 14 622 brasileiras perderam a vida.

Principais vilões:

Ser mulher não é fácil: filhos, depilação, trabalho… E estrogênio! Além de influenciar nosso humor, ele está fortemente ligado ao câncer de mama, principalmente no caso de quem tem a primeira menstruação muito cedo ou entra no período pós-menopausa tardiamente. “A reposição hormonal não deve durar mais que cinco anos”, diz Arn Migowski, médico sanitarista e epidemiologista do Instituto Nacional de Câncer (Inca). Alguns estudos também apontam uma relação com bebida alcoólica, sedentarismo e obesidade.

Suas estratégias:

– A dica agora é ir ao médico caso perceba algum nódulo duro nos seios, ainda mais se ele for fixo ou persistir por mais que um ciclo menstrual. Outro sinal de alerta: mamilo retraído ou secreção clara saindo dele. Já a partir dos 50 anos, a mamografia tem que ser realizada a cada dois anos (alguns especialistas indicam a partir dos 40).

– Há alguns anos, Angelina Jolie causou polêmica ao divulgar que havia retirado os seios para se prevenir do câncer de mama. Ela estava correta. A mastectomia pode ser indicada para quem tem histórico familiar da doença (a mãe da atriz faleceu em 2007). “De 5 a 10% dos casos possuem origem hereditária. Essas mulheres devem seguir um acompanhamento especial: exames intercalados de mamografia e ressonância a cada seis meses”, destaca Maria Del Pilar, do Instituto do Câncer do Estado de São Paulo (Icesp). Quanto mais cedo a doença for diagnosticada, maiores as chances de cura (que podem chegar a 90% quando o câncer é descoberto logo no início).

Câncer de pulmão

2017: estimativa de 10 890 novos casos em mulheres.

Em 2014: 10 299 brasileiras perderam a vida.

Principais vilões:

Já é de se imaginar que o cigarro é responsável por quase todos os casos – são mais de 500 substâncias cancerígenas jogadas dentro do nosso corpo a cada tragada. E não existe uma quantidade segura para o vício.

Suas estratégias:

– Pare de fumar agora! “Os benefícios começam logo nos primeiros minutos, quando a pressão arterial se normaliza. E, após dez anos, o risco de câncer de pulmão passa a ser igual ao de uma pessoa que nunca colocou um cigarro na boca”, diz Gilberto Castro, médico-chefe do grupo de pulmão do Icesp.

– Mesmo que apenas seu marido mantenha esse péssimo hábito em casa, todas as pessoas ao redor correm o risco de desenvolver a doença (5% dos pacientes não fumam!). “Leva até oito horas para a poluição do cigarro sair de um ambiente fechado”, diz Teresa Yae Takagaki, coordenadora da Sociedade Brasileira de Pneumologia e Tisiologia.

– E agora? Já está decidida a parar de fumar? É para ter medo mesmo: entre todos os tipos de câncer, o de pulmão apresenta maior taxa de mortalidade. “Quando os sintomas aparecem, o estágio costuma já estar bem avançado”, alerta Teresa. A tomografia de rastreamento só deve ser feita a partir dos 55 anos para casos específicos (pessoas que tenham fumado dois maços por dia durante 20 anos). Esperamos que você não chegue a essa quantidade.

Câncer colorretal

2017: estimativa de 17 620 novos casos em mulheres.

Em 2014: 8 457 brasileiras perderam a vida.

Principais vilões:

Pode se despedir do cachorro-quente: a cada 50 gramas de carne processada consumidos por dia, você eleva em 18% o risco de desenvolver câncer de intestino, segundo a Iarc. “Eles são preparados com substâncias de alto potencial cancerígeno, além de sódio e gordura”, alerta a nutricionista Maria Eduarda. Tire do carrinho o macarrão instantâneo, os sucos artificiais e as refeições prontas. Já a carne vermelha deve ser limitada a dois filés por semana. “Algumas de suas proteínas se degradam durante o processo de digestão, gerando substâncias que favorecem danos celulares”, explica Samuel Aguiar Junior, diretor do Núcleo de Tumores Colorretais do A.C.Camargo Cancer Center, em São Paulo.

Suas estratégias:

– As dicas de nutrição da BF não são importantes só para afinar a cintura. “Esse tipo de câncer vem crescendo entre os brasileiros por causa da dieta repleta de gordura animal e frituras que, de maneira geral, está mais pobre em nutrientes”, diz Fábio Guilherme Campos, presidente da Sociedade Brasileira de Coloproctologia.

– Apesar de a colonoscopia só ser indicada após os 50 anos, vale ficar de olho no funcionamento do seu intestino e observar se há mudança de ritmo ou sangue nas fezes. No caso da doença de Chron, da síndrome de Lynch e da polipose intestinal, o acompanhamento começa a partir dos 20 anos. E, diferentemente do que muitos pensam, não existe um exame de sangue que faça o diagnóstico, viu?

Câncer de colo de útero

2017: estimativa de 16 340 novos casos em mulheres.

Em 2014: 5 448 brasileiras perderam a vida.

Principais vilões:

Não, você não precisa parar de transar para evitar o HPV (principal precursor desse tipo de câncer). Mas vamos pedir que se proteja. “Como essas lesões – que podem se formar nas regiões íntimas da mulher (e do homem) – têm uma evolução bem lenta, conseguimos tratá-las antes que se tornem um câncer”, diz Rafael Schmerling, oncologista do Hospital São José, em São Paulo.

Suas estratégias:

– É muito simples: basta fazer o papanicolau a cada três anos (se os dois últimos exames deram negativo). Já em consultas particulares, os médicos solicitam anualmente.

– Sabe as preliminares? O vírus pode estar presente na lubrificação. “A camisinha protege, mas sexo é muito mais do que a penetração. Por isso, o papanicolau se torna indispensável”, alerta o oncologista Cláudio Ferrari.

– Em qual gaveta está sua carteira de vacinação? Trate de separá-la para a próxima ida ao ginecologista. Mesmo que o Sistema Único de Saúde (SUS) só forneça a dose contra o HPV a meninas de 9 a 13 anos, é possível recorrer à rede particular. “Estudos mostram que não há risco de doenças induzidas pela vacina e que, no resto do mundo, os casos de lesões malignas foram reduzidas a quase zero”, diz Maria Del Pilar. Ah! Só para avisar: a injeção dói um pouquinho.

Fonte: http://boaforma.abril.com.br/saude/atitudes-que-ajudam-a-afastar-o-cancer-de-mama-e-outros-tumores/ – Por Daniela Bernardi – g-stockstudio/Thinkstock/Getty Images

Compartilhar

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta