Bom Jardim Notícias.com

Massa chora e é aplaudido no seu adeus a Interlagos

Massa chora e é aplaudido no seu adeus a Interlagos

Com uma batida na curva do Café na 48ª volta de um GP Brasil marcado por chuva, paralisações, bandeiras e ultrapassagens, Felipe Massa, 35, parou seu carro e teve a caminhada mais longa de sua carreira rumo aos boxes.
17582347580004753650000
Ensopado, saudou o público, que retribuiu com aplausos e gritos entusiasmados. De um fiscal, recebeu a bandeira brasileira, que ergueu e repousou sobre os ombros.

Ao chegar à entrada do pit lane, viu uma cena rara no competitivo ambiente da F-1.
Mecânicos, da sua Williams e das rivais, enfileiravam-se para aplaudi-lo de pé, mesmo com a corrida ainda em andamento.

Perdido em meio a vários cumprimentos, encontrou na multidão a mulher, Rafaella, e o filho, Felipinho. Desabou.

Conhecido pelo jeito afável, mas contido, Massa chorou como nunca tinha chorado em toda a trajetória. Nem mesmo no vice-campeonato mundial de 2008, também em Interlagos, diante de um público apaixonado.

Depois de todas as entrevistas protocolares, foi recebido por familiares e amigos no QG da Williams, onde voltou a se emocionar.

Ficou na instalação por cerca de dez minutos, saiu acompanhado do pai, Titônio, enquanto ouvia seu nome ser gritado pelo público das arquibancadas.

“Queria agradecer esse momento. É o momento final de uma carreira da qual sou muito orgulhoso, por tudo o que passei e pelo que vivi. Espero correr no Brasil em outras categorias, mas a última corrida de F-1 no meu país é muito especial”, afirmou o piloto.
“É difícil dizer a emoção. Tenho muito orgulho de ser brasileiro, e mostro sem vergonha alguma”, completou.

Sua aposentadoria definitiva da F-1 ocorrerá no dia 27, no GP de Abu Dhabi, que encerra esta temporada.

Porém, o ápice de seu adeus ocorreu neste domingo (13). Não foi para menos. Os grandes momentos de sua carreira na F-1 foram vividos em Interlagos.
No circuito, ele foi ao pódio cinco vezes –com duas vitórias– e se tornou o brasileiro mais bem-sucedido no local. E, para o público, pouco importou se o retrospecto no circuito não foi mantido.

Mais choro
O dia do último GP Brasil de Massa foi recheado de emoções desde o começo. Pela manhã, ele revelou em uma rede social o capacete especial e o macacão, com toques em verde e amarelo.

Foi uma repetição, mais discreta, de 2006, quando competia pela Ferrari e pela primeira vez na F-1 usou a roupa com as cores do Brasil em Interlagos e conquistou sua primeira vitória.

Depois, no tradicional desfile dos pilotos em Interlagos, levou Felipinho, distribuiu bonés para a torcida, estendeu uma bandeira do Brasil e, de novo, ficou com os olhos marejados.

Logo no começo da corrida, Massa sofreu punição por irregularidade durante passagem do “safety car” e teve de parar cinco segundos nos boxes. Ele havia largado na sua pior posição, 12º. Mesma do GP Brasil de 2002.

Após o reinício da prova, fez corrida discreta e não conseguiu passar do 13º lugar. Mesmo após a rodagem, porém, voltou a ser o protagonista em Interlagos.

http://www.folhape.com.br/

Compartilhar

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta