Bom Jardim Notícias.com

Médicos estão utilizando ânus robótico superrealista para treinarem o exame de próstata

Médicos estão utilizando ânus robótico superrealista para treinarem o exame de próstata

O exame de próstata não é uma experiência agradável, dizem os homens. Mas, as sensações que fazem muitos homens deixarem de fazer o importante exame, são mais acetáveis quando o médico sabe exatamente o que está procurando. Para garantir que isso aconteça, pesquisadores no Reino Unido lançaram um reto robótico que ajuda os médicos e enfermeiros obter uma compreensão completa do que é sentir um reto saudável ou anormal. Além disso, a ferramenta possibilita aprimorar a técnica do toque retal.

Pode parecer uma bobagem, mas a invenção permitirá um treinamento muito mais eficaz. O modelo não é só um “ânus de plástico”, pois há braços robóticos que fazem pressão contra um reto de silicone, dando uma sensação precisa do reto e seus movimentos durante o exame. Isso quer dizer, que o ânus robótico faz movimentos internos e no esfíncter assim como acontece em um homem de verdade. Além disso, um modelo 3D dos órgãos internos é exibido em tempo real na tela do computador, de modo que o usuário pode ver o que estão sentindo. O robô pode ser programado para ter um cenário anatômica diferente de cada vez que o treinamento começa, tais como um aumento da próstata ou talvez um tumor em desenvolvimento.

Hoje, os modelos usados em treinamentos médicos não oferecem a sensação real de carne e tecidos vivos e muitas vezes não dão compreensão ou técnica adequada. Além disso, o modelo robótico libera o uso do “assistente retal”, aquela pessoa que voluntariamente cede o corpo para treinamento para o tal exame.

Dr. Alejandro Granado demonstrando a tecnologia do reto robótico.
Dr. Alejandro Granado demonstrando a tecnologia do reto robótico.

Exames internos são realmente um desafio para os médicos, assistentes e enfermeiros. Mas os resultados destes exames podem ter grandes implicações na vida de um paciente. Eles são importantes para o diagnóstico precoce de várias condições”, disse Fernando Bello, um dos responsáveis pelo projeto.

O próximo passo é um modelo anatômico robótico de uma vagina para treinamento de exames ginecológicos. O projeto já se encontra em andamento.

roborectum-1

Fonte: sciencealert/ imperial
Imagens: sciencealert/ Colégio Imperial de Londres
Compartilhar

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta