Bom Jardim Notícias.com

6 mitos do orgasmo feminino

6 mitos do orgasmo feminino

O mundo da sexualidade feminina está cheio de mitos que vale a pena rever para perceber, de uma vez por todas, como uma mulher pode desfrutar ao máximo do sexo e alcançar orgasmos facilmente. A industria pornográfica tem causado muitos prejuízos ao sexo, porque muitas pessoas acreditam que são normais algumas situações que acontecem nos filmes de adultos, mas que na realidade é preciso muito mais trabalho e determinação para conseguir que os membros do casal desfrutem das suas relações. Neste artigo do umComo mostramos-lhe 6 mitos do orgasmo feminino que vale a pena rever o quanto antes.

O orgasmo vaginal é o mais comum

Totalmente falso, de fato, apenas 1/3 das mulheres têm este tipo de orgasmo durante as suas relações. Recordemos que o ponto de maior prazer feminino é o clitóris e que se encontra na parte superior dos lábios vaginais, ou seja, com a penetração pode ser estimulado desde dentro mas é por fora onde se consegue mais prazer.

Assim sendo, embora existam momentos em que uma mulher possa ter um orgasmo vaginal, o certo é que a maioria precisa de ter estimulado previamente o clitóris com masturbação, carícias ou sexo oral para poder chegar ao orgasmo. Portanto, se quer desfrutar ao máximo do sexo não se conforme apenas com penetrações, peça também ao seu companheiro que acaricie outras partes erógenas do seu corpo e, se ele não o fizer, toque-se você mesma. Verá como é uma experiência enlouquecedora.

O orgasmo vaginal é o mais comum

Pode excitar-se uma mulher tocando o ponto G

O ponto G feminino existe sim, mas trata-se de um tecido esponjoso que rodeia a região da uretra. Quando uma mulher se excita segrega um fluxo procedente de umas glândulas que se encontram no interior da vagina e este excesso de lubrificante é absorvido pelo ponto G, e é por isso que se expande. Ou seja, quando não estamos excitadas é impossível encontrar o ponto G, uma vez que não se pode detectar e, se lhe tocar, sentirá mais vontade de urinar do que outra coisa.

No momento em que se está excitada pode-se estimular esta zona do corpo que pode ajudar a chegar ao orgasmo e, por vezes, quando se consegue segrega o líquido lubrificante e é nesse altura que se fala da “ejaculação feminina”. Uma mulher sozinha dificilmente chegará ao ponto G a não ser que tenha um brinquedo erótico, mas o melhor é que seja o companheiro de cama a encarregar-se de o fazer.

Pode excitar-se uma mulher tocando o ponto G

As mulheres são multi-orgásmicas

Existem mulheres que podem chegar a ter mais do que um orgasmo durante uma sessão de masturbação ou um encontro sexual com um parceiro, mas isto não significa que tenham de ter sempre vários orgasmos para demonstrar que a experiência foi satisfatória. Além disso, também existem outras mulheres que não suportam que as continuem acariciando depois de terem o primeiro orgasmo, uma vez que se trata de uma região extremamente sensível e, por isso mesmo não aguentam mais estimulação.

Assim sendo, existem algumas mulheres que de fato podem ter multi-orgasmos e outras que não conseguem devidos às suas condições físicas. O mais importante, não deve ser cair no erro de que se uma mulher não teve mais de um orgasmo num encontro a relação correu mal. Os dois devem desfrutar e passar um momento íntimo e prazeroso.

As mulheres são multi-orgásmicas

O bom orgasmo é quando se expulsam fluídos

Também existem alguns mitos sobre o orgasmo feminino que se difundiram por culpa dos filmes eróticos, como por exemplo, considerar que uma mulher chega ao orgasmo quando expulsa algum fluído, parecido ao sêmen que o homem segrega ao gozar. Isto é totalmente falso! Embora existam mulheres que de fato expulsam mais fluído durante o encontro, o certo é que a maioria fica úmida mas não largam esse “jato” de fluído.

De fato, muito poucas mulher o podem fazer, e por isso mesmo esta situação nada tem a vercom o prazer do orgasmo.

O bom orgasmo é quando se expulsam fluídos

Com um pênis grande pode conseguir melhores orgasmos

Outro mito que se espalhou pela nossa sociedade é considerar que quanto maior é o pênis de um homem, maior será o prazer sexual da mulher. Os homens que têm um pênis grande certamente que já se depararam com a situação de não poderem desfrutar plenamente do sexo, uma vez que a maioria das mulheres não suporta a penetração de membros demasiado grandes e grossos.

No entanto, com um pênis muito pequeno também não se pode desfrutar plenamente do sexo, mas com uma estimulação prévia, vários preliminares e o uso de diferentes brinquedos eróticos pode conseguir-se chegar ao orgasmo facilmente. Assim sendo, o tamanho do pênis não importa, sempre e quando, não estamos a falar de medidas extremamente grande ou pequenas (micropênis).

Com um pênis grande pode conseguir melhores orgasmos

Desfrutará mais do orgasmos se for por via anal

Embora o sexo anal seja outro método de estimulação e de prazer sexual, o certo é que o corpo da mulher está desenhado para ser penetrado por via vaginal e desfrutar do orgasmo graças ao clitóris e à vagina. Portanto, o sexo anal pode ajudar a inovar e a ter outras experiências na cama, mas não é comparável com a penetração vaginal, pois é aí que estão todas as terminações.

Além disso, por muito que se pratique o sexo anal, a mulher deverá ser estimulada de outros modos para poder manter a excitação e desfrutar da experiência. Do mesmo modo, deve-se ser muito cuidadoso com este tipo de sexo uma vez que pode danificar a região anal. No umComo temos um artigo em que lhe explicamos como sentir prazer com o sexo anal.

Compartilhar

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta