Bom Jardim Notícias.com

As mulheres também ejaculam?

As mulheres também ejaculam?

É mulher a já ejaculou alguma vez? É homem e viu como a sua parceira molhava toda a cama? A ejaculação feminina é um dos mitos que mais se fala hoje em dia, cada vez mais pessoas se perguntam se as mulheres também ejaculam.

A sexualidade na mulher tem sido silenciada e inclusivamente negada durante anos. Felizmente, pouco a pouco elas também se estão libertando e começam a poder desfrutar do seu corpo sem tabus nem problemas, mas ainda são muitos os tabus e silêncios que rodeiam o assunto.

A ejaculação feminina não só é desconhecida por muito homens, inclusivamente para as mulheres é algo que em algumas ocasiões não se tem nenhuma evidência. Até em mulheres que conseguiram ter ejaculações, elas mesma acreditam que na verdade fizeram chichi. Em seguida explicamos-lhe toda a verdade sobre a ejaculação feminina, porque sim, as mulheres também ejaculam.

mm

A ejaculação em mulheres existe

O mundo da pornografia construiu grandes mitos que por vezes são difíceis de desmontar. No terreno da ejaculação feminina vendeu-se a imagem de uma mulher que ejacula grandes quantidades de líquido e, embora possa acontecer, não é assim tão habitual nem frequente.

O certo é que a grande maioria das mulheres ejaculam e são capazes de ejacular embora não tenham consciência disso. Isto deve-se às quantidades que são muito variáveis, desde os 50 mililitros até aos 4, dependendo do tamanho das glândulas, por isso na maioria dos casos, como a quantidade de líquido expelido não é muito grande, não o associam à ejaculação.

Como acontece a ejaculação feminina

Não existe apenas um método para ejacular, embora se tenha demonstrado que quanto maior for a estimulação parauretral maior as possibilidades de isso acontecer. Aqui é onde está localizado o ponto G feminino, a três centímetros da parte anterior da vagina.

Outro mito da ejaculação feminina é que para que aconteça tem que existir orgasmo. A ejaculação feminina existe e pode acontecer sem orgasmos, embora geralmente, as mulheres que ejaculam em maiores quantidades acreditem que quanto mais intenso for o prazer maior será a ejaculação.

O que é a ejaculação feminina

No 3 centímetros que mede a uretra feminina encontramos até 30 glândulas diferentes. Além das glândulas uretrais e parauretrais, nesta região existe a glândula de skene, chamada de próstata feminina, que é onde se encontra este fluído. Aí é onde se vai acumulando durante a excitação, e com a pressão e as contrações sai para fora. Esta também pode ser a explicação da sensação de urinar que muitas mulheres têm depois de ter relações.

É inodoro e incolor, de fato nem deixa manchas nem tem sabir. Muitas gente acredita que se trata de urina ou de fluxo lubrificante, mas na realidade não se trata de nada disso. Os estudos que se fizeram assinalam que contém PSA, um elemento que até ao momento se pensava que apenas existia na próstata masculina. Sim que partilha elementos com a urina, tal como acontece com a ejaculação masculina, mas não é verdade que se trata nem de urina nem de lubrificação.

É totalmente diferente da ejaculação masculina, obviamente não contém espermatozoides, mas além disso, o líquido seminal masculino contém outros elementos como o zinco, a albumina e a frutose, que não estão presentes na feminina.

O que é a ejaculação feminina

Não deve ser uma obsessão

A satisfação sexual e o prazer dependem de muitos fatores diferentes e nenhum deles é o orgasmo nem a ejaculação. Criámos uma série de mitos e crenças que nos fazem ver o sexo como algo que só está relacionado com penetração e orgasmo, quando realmente é algo muito mais profundo que se pode desfrutar durante todo o ato, não só no clímax.

A ejaculação, neste caso a feminina, não deve ser nenhuma obsessão, visto que isso pode chegar a fazer perder as sensações que acompanham o ato sexual e que o tornam prazeroso. As metas e os objetivos sexuais, em muitos casos, criam-nos medos e barreiras mentais que nos impedem de desfrutar a 100% do que fazemos.

A ejaculação feminina não afeta o prazer nem as sensações, a quantidade de líquido expelido não corresponde a um maior prazer. Tanto se estamos falando de coito entre um casal ou de masturbação. A estimulação sexual não deve ser medida pela quantidade de líquido que se ejacula, assim como também não é necessário o orgasmo para existir prazer.

Algo que os homens já têm bastante claro é que a quantidade que ejaculam nada tem a ver com o nível de prazer que conseguem, e isso também deve ser entendido no que diz respeito à ejaculação feminina.

relacoes.umcomo.com.br

Compartilhar

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta