Bom Jardim Notícias.com

Sport sai na frente do Náutico

Sport sai na frente do Náutico

Juninho cumpriu a profecia que o ‘persegue’ desde a primeira vez que entrou em campo e deu a vitória ao Sport de forma heroica por 3×2 no primeiro clássico que abriu a semifinal entre os dois times na Ilha do Retiro. Pela quinta fez em cinco jogos, o camisa 37 entrou no decorrer de uma partida e deixou sua marca. Com o resultado o Leão entra em campo no próximo domingo na Arena Pernambuco precisando de um empate para avançar à final. Se o Náutico vencer por diferença de um gol a decisão vai para os pênaltis.

 Volantes
O técnico Ney Franco optou por um trio de volantes, a intenção era liberar mais Diego Souza. E essa empreitada fez o Sport buscar mais o jogo e empurrar o rival para o campo defensivo, ainda que forçando mais do que deveria com DS87 pelo lado esquerdo. Tiago Cardoso foi obrigado a duas defesas, em chutes de Mena e Rogério, esta última com maior grau de dificuldade.

Encaixou
Depois dos dez primeiros minutos com dificuldade para achar o setor ofensivo rubro-negro, o Náutico conseguiu encaixar a marcação e diminuir o perigo. Se não impediu o adversário em ter mais a posse da bola ao menos reduziu as finalizações mais próximas da área. O grande problema era atacar. Marco Antônio, que tem a tarefa de organizar o time jogava na faixa de campo dos volantes.

Crime…
A aposta do técnico Ney Franco para o clássico era o atacante André. E o camisa 90 teve chance de cumprir a profecia do comandante. Primeiro, recebeu de cabeça de Diego Souza. Evitou o chute de primeira e perdeu a jogada. Na segunda foi lançado por Rithely e, cara a cara com Tiago Cardoso, mandou em cima do goleiro, que também saiu bem, sejamos justos. Na terceira, Mena cruzou e ele mandou de cabeça na trave.

… e Castigo
É inevitável usar o ‘Quem faz, leva’. Dudu sofreu falta quase em cima da linha frontal de grande área, pelo lado direito. Na primeira oportunidade nesse mesmo local, Dudu errou. Aí Marco Antônio deve ter dito: “Deixa que agora é minha!” E foi lá, mandou no ângulo. Magrão ainda tocou na bola, mas ela já havia atravessado o limite fatal. Náutico 1×0 aos 44 da primeira etapa.

Feio é não fazer
No primeiro tempo o Sport tentou no giro, no cruzamento e na enfiada pelo corredor central. Lances bem construídos mas sem o resultado esperado. Aos seis da etapa final, a bola ficou presa na pequena área alvirrubra após cobrança de escanteio. Diego Souza, homem dos golaços, não teve pudor em tentar de bico. E, como diria Dadá Maravilha, feio é não fazer gol. O jogo estava empatado.

O cheiro do gol
O Náutico não se afobou com o gol tomado, nem mesmo quando Diego Souza carimbou a trave após cruzamento de Samuel Xavier. Seguiu jogando do mesmo jeito, procurando encher o corredor central de gente, já que era por ali que Diego Souza procurava a bola e quando dava ia à frente. Nem precisou esperar muito. Aos 19, Manoel cruzou da esquerda e Erick tentou de primeira mas só fez ajeitar para o meio. Mena parou a fração de segundo suficiente para o faro do artilheiro se manifestar. Anselmo mandou rasteiro e botou o Náutico na frente outra vez.

Predestinado
As entradas de Juninho e Everton Felipe não davam em nada. O Sport era engolido pela marcação até Juninho receber duas bolas em condições. Aos 44, entrou de cabeça após cruzamento de Rogério. Dois minutos depois estava de costas e Rithely mandou para ele. Dominou e no giro mandou forte, no canto para decretar a virada rubro-negra.

Ficha do jogo

Sport
Magrão; Samuel Xavier, Henriquez, Durval e Mena; Fabrício, Ronaldo (Juninho), Rithely e Diego Souza; André (Everton Felipe) e Rogério. Técnico: Ney Franco.

Náutico
Tiago Cardoso; David, Tiago Alves, Ewerton Páscoa e Manoel; Rodrigo Souza (Nirley), João Ananias, Marco Antônio e Dudu (Maylson); Erick e Anselmo (Alison). Técnico: Milton Cruz.

Campeonato Pernambucano 2017 – semifinal. Local: Ilha do Retiro. Árbitro: Wagner Magalhães (RJ). Assistentes: Emerson Carvalho (SP) e Guilherme Dias Camilo (MG). Gols: Marco Antônio, aos 44 do primeiro. Diego Souza, aos seis; Anselmo, aos 19;Juninho, aos 44 e 46 do segundo. Cartões amarelos: Mena, Ronaldo, Manoel e Rodrigo Souza. Público: 15.082.

http://blogs.ne10.uol.com.br/

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta