Bom Jardim Notícias.com

“Não sou candidato a presidente da República”, publica Luciano Huck em rede social

“Não sou candidato a presidente da República”, publica Luciano Huck em rede social

Recuperando-se de cirurgia de correção de hérnia iguinal, o apresentador de TV Luciano Huck publicou texto no Facebook, neste domingo (14), afirmando que não é pré-candidato a presidente da República na campanha de 2018. “Meu nome foi trazido, em boa medida, pelo fato de que eu disse que acredito que está na hora da minha geração ocupar espaços de poder. E não vou me furtar a esta discussão. Mas isso não significa que esteja me lançando a qualquer tipo de cargo. Neste momento da minha vida e carreira, não acho que seja necessário nem produtivo fazer uma mudança tão radical de rota para contribuir”, escreveu ele num trecho, ao dizer que nunca recebeu convite.

Não, não sou candidato a Presidente da República.

Mas um assunto como este não pode ser tratado sem reflexão.

Nunca falei que seria candidato a nada, mas nunca me esquivei de me posicionar. Acho que sempre fui alguém movido pela vontade de aprender e por uma curiosidade inata e verdadeira. Nesses mais de 20 anos de carreira, sempre quis ser alguém que se coloca, que está presente na cena nacional e que faz o que pode para usar sua energia a favor da evolução da sociedade e da nação. Nunca fiquei escondido atrás do conforto da indiferença e da fama, me omitindo, fazendo cara de paisagem, só posando para selfies e fingindo não ver o mundo em que estou.

Por força do meu trabalho, nas últimas duas décadas viajei este país de ponta a ponta, entrei na casa das pessoas, dividi com elas seus sonhos, compartilhei seus desejos, sem nenhuma intenção além de ouvir e de contar suas histórias.

Sempre disse que vou querer medir o sucesso daquilo que faço pelo impacto positivo que eu possa produzir na vida das outras pessoas. Mas o melhor tem sido descobrir que o meu maior aprendizado vem justamente do impacto que a vida das outras pessoas está tendo sobre a minha.

Dito isso, não tenho a menor dúvida de que estas duas últimas décadas de trabalho na televisão me ensinaram muito e, por consequência, me fizeram um homem, pai, marido e cidadão melhor. Mas posso dizer também que vi o Brasil profundo como poucos têm a chance (e às vezes a disposição) de conhecer. Vi e vivi os vários países que coexistem dentro dos contornos do Brasil. E mesmo falando a mesma língua, sei que nossos problemas tem sotaques incrivelmente diferentes.

Sem qualquer convite, fui dragado para uma discussão política, um lugar fora da minha área de conforto. Com a curiosidade e o interesse pela vida que sempre me moveram, me senti inclinado a aprofundar o olhar. O fato é que, neste momento da história, observo um ou outro movimento interessante e positivo, mas ainda não vejo liderança capaz de desenhar e defender um projeto de Brasil coerente e eficaz que nos inspire, que nos mobilize. E este não é um sentimento só meu, o que cria campo fértil para especulações políticas.

http://blogs.ne10.uol.com.br

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta