Bom Jardim Notícias.com

5 disfunções sexuais femininas e como solucioná-las

5 disfunções sexuais femininas e como solucioná-las

Falta de desejo, dor, dificuldade em atingir o orgasmo… Nos dê a mão, vamos te ajudar

Aqui está um pequeno tour pelas principais disfunções sexuais femininas e algumas dicas para acabar com elas. A primeira? Procure um médico! Saúde em primeiro lugar, certo? Você está prestes a desfrutar completamente da sua sexualidade.

Dispareunia

Chamamos de dispareunia a dor no momento da penetração. A origem dela pode ser orgânica (após o parto, por exemplo), infecciosa (micoses, cistite, herpes…) ou psicológica. Ela também pode resultar de um fenômeno pouco conhecido, porém comum, chamado Vulvodínia: uma inflamação na vulva.

 Soluções: um empecilho para a vida sexual do casal, as dores devem ser localizadas (dentro ou fora da vagina, profundidade…) e identificadas. Antibióticos podem ser prescritos se houver infecção, mas geralmente o medo da dor é o que provoca bloqueios mais profundos. No caso, consulte um psicólogo para superar esses receios.

Secura vaginal

Quando aparece, a secura vaginal causa um problema real e bem chatinho. A falta de lubrificação na vagina produz uma penetração desagradável e dolorosa. É geralmente motivada por alterações hormonais e afeta as mulheres jovens, adultas após a gravidez ou na menopausa. Além disso, estresse, medicamentos, higiene íntima muito agressiva, álcool e cigarros podem afetar o mecanismo de lubrificação natural.

Soluções: em primeiro lugar, um lubrificante à base de água pode aliviar o desconforto. E, conforme o caso, o médico pode prescrever um tratamento hormonal. A secura também pode ocorrer quando o sexo é precipitado, ou seja, cuidar bem das preliminares é uma boa maneira de aumentar o desejo e permitir que a vagina fique lubrificada naturalmente. Um brinquedo sexual ou um filme erótico também podem ajudar.

Vaginismo ou rejeição de penetração

Vaginismo se traduz em uma contração involuntária dos músculos do períneo e vagina. Embora os órgãos genitais sejam normais (reagem perfeitamente à excitação e você pode obter o orgasmo através da estimulação do clitóris), por reflexo, a abertura vaginal é fechada , impedindo qualquer penetração. Vaginismo também atrapalha exames ginecológicos e uso de absorventes internos durante a menstruação.

Soluções: não é surpresa, a causa do vaginismo é muitas vezes psicológica – trauma, medo ou fobia da sexualidade ou bloqueio psicológico devido a dispareunia grave. É preciso fazer um acompanhamento com uma equipe de especialistas em sexologia, cuidar da parte física e psicológica. O objetivo é, acima de tudo, relaxar você e os músculos da sua vagina.

Explicamos mais aqui: Vaginismo: quando o medo e a dor falam mais alto que o prazer

Anorgasmia

Há inúmeras mulheres que se queixam de não atingirem o orgasmo vaginal. Nesses casos, não estamos falando de anorgasmia – o termo é usado para aquelas que não conhecem nem orgasmo clitoriano, nem orgasmo vaginal, seja por relações sexuais ou masturbação. A anorgasmia costuma aparecer no começo da vida sexual, mas também pode afetar as mulheres mais velhas.

Soluções: como muitos outros problemas sexuais femininos, anorgasmia tem uma origem psicológica. Portanto, você vai precisar tomar o caminho da psicoterapia. A chave é encontrar a fonte do problema e, uma vez descoberto, aprender a superar. Também é aconselhável tentar novas posições ao ter relações sexuais.

Frigidez

Muito além da falta de orgasmo, a frigidez é definida pela total ausência de prazer sexual. Isso ocorre quando o corpo não reage a qualquer forma de estímulo: os órgãos genitais não respondem a carinhos ou excitação, e a vagina permanece seca. Isso muitas vezes leva a um problema mais profundo: o sexo feito como um dever, praticado com incômodo e indiferença.

Soluções: também para estes casos um bom trabalho psicanalítico pode fornecer a chave para desbloquear a situação. O objetivo do tratamento é que a mulher em questão descubra novas sensações e aprenda a se render a elas.

http://www.taofeminino.com.br/sexo

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta