Bom Jardim Notícias.com

7 Fatos Surpreendentes Sobre O Casamento E Sexo Na Antiguidade

7 Fatos Surpreendentes Sobre O Casamento E Sexo Na Antiguidade
O que aceitamos e achamos normal hoje em dia, pode ter sido visto como estranho alguns séculos atrás. Os costumes em torno do casamento e do sexo não são uma exceção. Esta lista inclui alguns dos fatos mais interessantes e às vezes chocantes ligados ao casamento, expressões de amor e práticas sexuais nos tempos antigos.

1 – Viúvas na Índia: Na Índia antiga, algumas comunidades acreditavam que as viúvas não tinham o direito de continuar suas vidas depois que seu marido falecesse. Eles tinham um procedimento peculiar chamado sati ou suttee. A viúva era enterrada viva (muitas vezes voluntariamente) ao lado do cadáver de seu marido.

2 – Prostituição sagrada babilônica: Era um antigo costume babilônico que, pelo menos uma vez na vida, todas as mulheres daquela nação tinham que cumprir um sagrado dever sexual com a deusa Mylitta, que é principalmente identificada com Afrodite. As mulheres tinham que entrar no recinto sagrado da deusa e ter relações sexuais com um estranho em troca de uma taxa.

3 – Poligamia no antigo Israel: A instituição do casamento possui muitas configurações aceitas na Bíblia hebraica. Durante o período histórico mais antigo de Israel, a poligamia foi uma prática aceita.

4 – Adultério: Na Mesopotâmia, de acordo com o código de Hammurabi, o adultério foi considerado um crime punível com a morte. Se uma mulher fosse pega traindo seu marido, ela e seu amante poderiam ser jogados no rio ou empalados. Se o homem decidia perdoar sua esposa, então ele poderia mantê-la salva. Nesse caso, a vida de seu amante também tinha que ser poupada porque tanto a esposa infiel quanto o amante dela tinham que compartilhar o mesmo destino.

5 – Priapus: Em algumas cidades da Roma antiga, era costume colocar imagens e estátuas do deus Priapus, com um pênis ereto, em jardins de mercado a fim de desencorajar invasores. O nome desse deus ainda permanece hoje como uma doença médica chamada Priapismo. Nesta desordem incomum, o pênis permanece ereto e incapaz de voltar ao seu estado flácido por algumas horas, apesar da ausência de estimulação.

6 – Mercados de casamentos: Imagine um mercado onde mulheres jovens são vendidas para homens que procuram uma esposa. Parece um pouco chocante, não é? O antigo historiador grego Heródoto informou a existência de tais mercados em suas histórias de trabalhos famosos. De acordo com este relatório, uma vez por ano em cada aldeia da antiga Babilônia, um leilão de noiva costumava acontecer. Muitas mulheres jovens elegíveis para o casamento eram reunidas em um lugar na frente de um grupo de homens que queriam se casar.

7 – Prostituição masculina: Na sociedade grega e romana, a prostituição masculina era amplamente aceita. No caso de Atenas, os ganhos de prostitutas masculinas e femininas estavam sujeitos a um imposto municipal. Isso indica que a atividade não só era permitida, mas também regulada pelo estado. No caso das prostitutas masculinas, a maioria dos clientes eram do sexo masculino. Embora a prostituição masculina fosse uma ocupação legal, qualquer homem que realizava serviços sexuais em troca de uma taxa tinha seus direitos civis removidos – ele não podia mais servir um magistrado ou falar na assembléia, e também era banido de muitos outros aspectos da vida pública.

www.http://www.listadecuriosidades.com.br/

 

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta