Bom Jardim Notícias.com

Atitudes para inibir a dor vaginal na penetração

Atitudes para inibir a dor vaginal na penetração

O termo dispareunia é usado para relatar que a mulher sente desconforto ou dor na penetração vaginal, durante ou após a relação sexual. A dor constante pode causar à mulher sintomas de ansiedade, angústia, dificuldades interpessoais, atitudes para evitar o sexo, entre outros. Causa distanciamento do casal e em longo prazo pode ocasionar o vaginismo (dor e dificuldade de penetração vaginal).

Algumas vezes a mulher sente dor na penetração vaginal devido ao inadequado estímulo sexual que recebe do seu parceiro… e isso é muito ruim para a mulher e o relacionamento íntimo do casal.

Nestes casos não ocorre uma adequada excitação, lubrificação e extensão da vagina para o acoplamento do pênis. Como consequência, haverá pressão nas paredes vaginais com desconforto ou dor, e em alguns casos podem ocorrer microlesões teciduais que podem desenvolver fissuras, candidíase de repetição, entre outras complicações emocionais e físicas.

 Sexo com dor é muito ruim! Por isso, leia com atenção sobre o que a mulher e o casal podem fazer para impedir esta situação incômoda. Este artigo também irá enfatizar a importância das preliminares para o prazer da mulher e evitar a dor.

Causas da dor vaginal na penetração

A dor na relação sexual é classificada de modo superficial ou profunda. A superficial é quando a mulher sente dor na entrada do canal vaginal, quando há o início da penetração. Já a profunda ocorre quando houve a penetração do pênis por completo e a mulher sente dor durante as fricções no fundo do canal vaginal. Em ambos os casos há uma dificuldade da mulher em relaxar e sentir prazer, com possibilidade de precisar interromper o ato em si devido a dor.

A dor superficial ocorre quando o desconforto ou dor são sentidos na entrada da vagina e região vulvar, estas podem ocorrer devido a algumas doenças como vulvovaginite, herpes genital, uretrite, atrofia vulvovaginal, situações que causam irritação local, episiotomia (corte que é realizado no parto vaginal para facilitar a saída do bebê, também chamado de episiotomia), radioterapia local, traumas sexuais, tensão dos músculos vaginais e outros.

Já a dor profunda ocorre quando o desconforto ou dor são sentidos na penetração superior da vagina, e pode ser ocasionada por doença inflamatória pélvica, fibromialgia, cirurgia abdominal, endometriose, infecções locais, entre outros.

Além dos fatores citados acima, o desconforto ou dor podem surgir pela dificuldade ou ausência de relaxamento dos músculos vaginais (Músculos do Assoalho Pélvico), nível baixo de tolerância à dor, aderências e fibroses cicatriciais, incompatibilidade do tamanho do pênis e vagina (vagina muito apertada com um pênis muito grosso, por exemplo), falta de excitação e lubrificação vaginal, entre outros.

Confira o vídeo:

Atitudes para melhorar a dor vaginal na penetração

Quer melhorar a dor na penetração e conseguir sentir prazer? Para isso é importante algumas atitudes como descritas abaixo.

Primeiramente, a mulher deve identificar se há algum problema de saúde que está ocasionando a dor na penetração. Para isso, deve procurar um Médico Ginecologista para saber se há doenças locais.

Caso não tenha doenças, a mulher deve procurar um Fisioterapeuta com especialização na Fisioterapia Pélvica para avaliar seus músculos íntimos, nestes casos provavelmente eles estão tensos e encurtados.

Outro passo é observar como está a vida sexual do casal e as seguintes questões: O casal realiza preliminares com frequência?

Acontece com frequência penetração sem a mulher estar excitada e lubrificada?

Se as respostas para essas perguntas forem não, recomenda-se ter uma conversa com o parceiro (a) para que juntos possam mudar os hábitos sexuais e evitar a penetração com dor.

Além disso, a mulher deve evitar fazer sexo quando está cansada, sem vontade e com algum problema de saúde e/ou emocional.

Durante as práticas sexuais é importante que ela se envolva emocionalmente no ato e evite pensamentos externos. A mulher precisa realizar práticas sexuais com prazer e satisfação, jamais com desconforto ou dor.

Por que a importância de preliminares? Momentos com estímulos prazerosos proporcionam excitação e preparo físico e emocional para o corpo e mente sentirem prazer e orgasmo.

Quando a mulher está excitada e relaxada o canal vaginal se distende para a penetração, haverá aumento da circulação sanguínea no local, contrações do útero para aumentar a profundidade do canal vaginal e produção da lubrificação que facilita as fricções.

A importância dos cuidados

Quando a mulher realiza práticas sexuais com desconforto ou dor com frequência ela pode desenvolver uma alteração no tônus dos músculos vaginais, chamada de hiperatividade. Isso promove uma contração nos músculos da entrada da vagina, além de um encurtamento dos mesmos. E, com isso, não basta querer relaxar ou beber um vinho… pois os músculos não a obedecem porque já modificaram suas estruturas.

O tratamento dos músculos se faz necessário porque estes estão com uma alteração na estrutura, desenvolvendo uma tensão local sem que a mulher tenha conhecimento. Quanto maior o tempo que ela sente dor na penetração, maior será o agravamento da tensão e o registro negativo em seu inconsciente em relação ao sexo. Como consequência, haverá um aumento da dor no local.

Alguns produtos sensuais ajudam na saúde sexual

Existem alguns produtos que ajudam no alívio e tratamento do desconforto e da dor vaginal quando usados individualmente pela mulher para fins terapêuticos, mas os mesmos podem contribuir no prazer quando usados pelo casal durante as preliminares, como:

Gel Hot – gel térmico para sexo oral com sabores, estes esquentam proporcionando aumento da percepção corporal e contribuem na excitação e prazer;

Óleo para massagem relaxante – para usar na preliminares, massagear os pontos erógenos e contribui no relaxamento muscular quando a vulva e a entrada vaginal são massageadas, auxilia na excitação e prazer;

Peridell – massageador terapêutico para a região do períneo e vagina. Possui diferentes ponteiras que estimulam os músculos, nervos e circulação do clitóris, vagina (região do ponto G) e região anal. Promove relaxamento e analgesia no local, facilita a penetração, e contribui no autoconhecimento, intimidade, prazer e orgasmo.

Bomba clitoriana – contribui no aumento da circulação e na melhora da inervação na região do clitóris, facilita o orgasmo clitoriano.

Quando a mulher realiza práticas sexuais com dor poderá haver com o tempo diminuição do desejo sexual, de intimidades e carícias, diminuição da frequência do sexo com penetração, excitação, lubrificação vaginal e orgasmo. Poderá haver afastamento íntimo do casal e infelicidade conjugal.

Fabiane Dell`Antônioé Fisioterapeuta Palestrante; Consultora da Empresa HotFlowers; Com participação de textos sobre sexualidade em Revistas, Sites e Jornais de circulação Nacional; Articulista do Site Desejo Oculto e Revista Fisiobrasil; Com Mestrado em Ciências da Saúde Humana – UnC / SC; Especialização em Neuropsicologia e Aprendizado – PUC / PR; Especialização em Fisioterapia em Uroginecologia – CBES / PR ; Especialização em Sexualidade Humana – USP / SP.

https://www.desejooculto.com.br

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta