Bom Jardim Notícias.com

Conheça 6 costumes funerais bizarros do século 19, quando ficar de luto era moda!

Conheça 6 costumes funerais bizarros do século 19, quando ficar de luto era moda!

Os costumes do passado são sempre motivo de muita especulação para todos. Quando se diz respeito à morte, luto e sepultamentos, as pessoas parecem se interessar ainda mais. Isso, porque, os costumes do passado, sobretudo século 19, idade média/medieval, era vitoriana, era tudor, tudo era bem diferente, uma época que funeral era moda.

A rainha Victoria, que governou a Inglaterra de 1837 a 1901, foi quem começou a colocar “modinhas” nos funerais. Quando seu marido morreu, ela passou a usar preto o tempo todo e se dizia de luto. A partir daí, lidar com a morte tornou-se uma obsessão na cultura da época. A seguir, mostramos 6 desses costumes bizarros relacionados à morte, quando o luto virou moda!

1- ÚLTIMO DESEJO

A história de determinar o “último desejo”, surgiu nessa época e era uma febre. Todo mundo queria determinar o que gostaria que fosse feito na hora de sua morte. As pessoas escreviam o que gostariam que acontecesse em seu funeral, em caso de morte. As cartas eram escritas mesmo quando as pessoas eram jovens e estavam perfeitamente saudáveis. As famílias costumavam respeitar.

2- JOIAS FEITAS COM CABELO DO MORTO

A moda lançada pela Rainha Victoria foi manter os cabelos dos entes queridos. Quando ela perdeu o marido, cortou um cacho dos seus cabelos. Ela manteve, por toda a vida, esse chumaço dentro de um medalhão que usava todos os dias. Manter o cabelo do ente querido virou moda na época. Todas as mulheres passaram a construir joias com os fios de cabelos de seus maridos. A criatividade era muita: trançava-se os fios para ornamentar brincos, tiaras, colares, medalhões.

3- VESTIDO DE LUTO

Depois do luto da Rainha Victoria, o vestido de luto se tornou quase obrigatório. Sempre que alguém morria, a família inteira, sobretudo as mulheres, precisavam usar roupas pretas. Aparecer um público com roupas coloridas era sinal de desrespeito ao morto. Esse costume se manteve por metade do século 20. Aliás, quando se perdia alguém da família, todos eram obrigados e não comparecerem em eventos festivos por vários meses.

4- FOTOGRAFIAS POST-MORTEM

Esse costume era bizarro. Tornou-se moda na era vitoriana fotografar as pessoas mortas. Era um costume apenas da classe média-alta que tinha acesso a este recurso moderno. Colocava-se o morto em posição comum, como se estivesse vivo e fazia-se várias fotos. Então, uma pesquisa rápida no Google te mostrará diversas imagens de mortos junto a suas famílias. A posição sentada era a mais usada, observe a imagem que ilustra este texto.

5- BONECAS DE FUNERAL

Quando um bebê morria, e as mortes até 2 anos de idade eram comuns, a família não mostrava o cadáver. Somente a família podia ver o bebê. Então, encomendava-se uma boneca de cera parecida com os filhos, para que caso morressem, a boneca pudesse ficar no caixão no lugar do corpo.

6- AS CARTAS DE MORTE

Os meios de comunicação eram bastante precários na época. Então utilizava-se o serviço dos correios para enviar o aviso de morte aos parentes distantes. O envelope era especial: branco com bordas pretas. Ao receber um envelope assim, os parentes já sabiam que era um comunicado da morte de alguém da família. A ideia era que as linhas pretas preparassem o leitor para a má notícia da morte.

LISTVERSEJORNALCIENCIA

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta