Bom Jardim Notícias.com

Como prevenir a osteoporose

Como prevenir a osteoporose
Ao contrário do que muita gente pensa, o esqueleto não é apenas um suporte morto que serve de estrutura para o corpo. Na verdade, ele é um tecido com metabolismo intenso, em contínua renovação. As células dos ossos estão sempre em reprodução, se acumulando camada sobre camada. Esta renovação acontece de fora para dentro. Por dentro, as células antigas são constantemente destruídas e reabsorvidas. Esse remodelamento permite ao corpo consertar constantemente pequenas fissuras existentes nos ossos antes que elas possam gerar um enfraquecimento dessas estruturas, além de adaptá-los em força e formato de acordo com o impacto ao qual são submetidos.

Saúde dos ossos e envelhecimento

Como acontece no processo de envelhecimento de todos os tecidos, o balanço entre renovação e destruição dos ossos vai ficando cada vez mais precário com o passar do tempo. Quando envelhecemos, há uma aceleração da reabsorção óssea e uma diminuição no ritmo de criação de novas camadas dos ossos, tornando-os mais frágeis e quebradiços.
Por volta dos vinte anos, nossos ossos atingem o seu ponto de maior resistência e densidade que jamais terão. Depois disso, ano após ano, eles vão ficando progressivamente menos densos e mais frágeis. Às vezes, há um momento em que a perda óssea é tão significativa que a sua resistência é comprometida, levando a um intenso aumento no risco de fraturas.
Envelhecimento e osteoporose
Quando se desenvolve esse quadro de extrema fragilidade dos ossos, há o diagnóstico da doença chamada “osteoporose”. A osteoporose é descrita como uma condição clínica caracterizada pela perda da densidade de minerais nos ossos e pela deterioração da micro-arquitetura do tecido ósseo, o que leva à diminuição da sua resistência, aumento da fragilidade e, consequentemente, ampliação do risco de fraturas. Os ossos quebrados devido à osteoporose são usualmente resultado de acidentes simples, como quedas da própria altura.
Cerca de metade das mulheres e um em cada oito homens com mais de 50 anos vão experimentar fraturas ligadas à osteoporose em algum momento da vida. Se, em jovens, fraturas, na maior parte das vezes, são pouco ofensivas, bastando a ação do tempo e da mobilização para uma cura completa, em idosos as consequências de ossos quebrados podem ser catastróficos – incluindo paralisias, invalidez permanente e até mesmo a morte.
Mas nem todos os idosos irão desenvolver osteoporose. Em regra, quanto mais resistentes são nossos ossos por volta dos vinte anos, mais tempo irá demorar para que eles se atrofiem ao ponto de se tornarem frágeis. Essa reserva óssea é uma espécie de poupança para a aposentadoria: é preciso economizar quando se é jovem para poder desfrutar dos benefícios na maturidade.

Apesar de existirem fatores genéticos ligados ao desenvolvimento de osteoporose, cerca de um quarto da densidade dos ossos é determinada por fatores ligados à alimentação, à prática regular de atividades físicas e a outros estímulos como medicações e doenças prévias. As mulheres são mais propensas a desenvolverem osteoporose do que os homens. Isso ocorre porque elas tem um pico de densidade óssea menor do que o dos homens em aproximadamente 10%. Além disso, os hormônios sexuais femininos, em especial o estrógeno, são importantes reguladores da formação óssea. A perda de estrogênio resultante da menopausa faz com que se acelere o processo de reabsorção óssea e se diminua o ritmo de formação de novas células do osso.

Como prevenir a osteoporose

A osteoporose pode ser prevenida, nas mulheres, com a administração de baixas doses de estrogênio, integrantes de terapias de reposição hormonal. A suplementação hormonal protege os ossos durante o processo de envelhecimento. O declínio dos níveis de testosterona nos homens, associado à andropausa, também tem impactos importantes na saúde dos ossos. Assim, a reposição de testosterona também pode ser uma alternativa.
Além disso, é necessário evitar fatores que induzem a fragilidade óssea. Entre esses fatores, estão o abuso do consumo de álcool, o tabagismo, o diabetes e o sedentarismo. Portanto, uma boa alimentação, hábitos saudáveis que incluam o baixo consumo de álcool e de doces e a prática regular de exercícios físicos são fundamentais para prevenir a oesteoporose.
http://www.maisoumais.com

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.