Bom Jardim Notícias.com

Náutico perde e tem prejuízo de dois gols para tirar do Bragantino

Náutico perde e tem prejuízo de dois gols para tirar do Bragantino

O prejuízo poderia ser maior, é verdade. Mas, ainda assim, o Náutico terá uma dura missão no próximo domingo (26) para voltar a Série B após perder por 3×1 para o Bragantino neste sábado (18), no Nabi Abi Chedid, em Bragança Paulista, pela primeira partida nas quartas de final da Série C. Em dois terços do jogo, o time pernambucano foi uma sombra da equipe envolvente que terminou em primeiro lugar do grupo A e pagou caro por isso.

Com dois gols de desvantagem, o time vermelho e branco precisa vencer por uma vantagem mínima de dois gols, independente do placar – pode ser 2×0, 4×2, 6×4 – para levar a decisão para as cobranças de pênalti. Para garantir o acesso direto, o triunfo tem que ser a partir de três gols de diferença.

Primeiro tempo

Tudo que o Náutico não deveria fazer era entrar no jogo do Bragantino, diametralmente diferente à proposta alvirrubra. E tudo que o Náutico fez na primeira etapa foi jogar exatamente do jeito que o adversário precisava e queria. O time de São Paulo contraria o que se coloca quase como regra no futebol atual: pouco põe a bola no chão, nem é veloz nas transições. É lançamento o tempo todo, inclusive nas cobranças de lateral.

E o time pernambucano, que tem como marca colocar volume de jogo passou a fazer a mesma coisa que seu adversário. O jogo ficou truncado, preso entre as duas intermediárias, com muitas faltas, sem suma, mais físico que técnico. Deixou um jogador como Robinho praticamente assistindo a partida, sem ter como desenvolver seu jogo. Aliás, o setor ofensivo alvirrubro resumiu-se a Ortigoza procurando os espaços em todos os lados do campo, mas sempre sem a devida ajuda.

O Bragantino, assim, levou a partida em banho-maria esperando algum espaço para aproveitar. E o primeiro apareceu aos 29 minutos. Matheus Peixoto arrancou pela esquerda e rolou para Vitinho. Sem marcação, ele chutou rasteiro, no canto direito de Bruno para abrir o placar. O prejuízo não mudou a estratégia do Timbu. Pouca aproximação entre meio de campo e ataque e o time da casa levando vantagem na marcação continuaram até o fim do primeiro tempo, quando, aos 46, a bola alta que o Massa Bruta tanto esperava deu certo. Rafael Chorão mandou na pequena área e Marquinhos, um dos poucos jogadores de baixa estatura dos donos da casa, completou quase encostado no segundo pau.

Segundo tempo

Esperava-se que o Náutico voltasse com a lição aprendida e tentando por a bola no chão para começar a mudar a dinâmica do jogo. Mas nem deu tempo para ensaiar essa reação. Aos nove minutos, a mesma bola parada voltou a trazer problemas. Numa cobrança de escanteio pelo lado direito, Chorão mandou na pequena área e Fabiano subiu sozinho para fazer 3×0.

Com uma vantagem tão grande o Bragantino recuou um pouco mais seu bloco de marcação, dando campo aos alvirrubros. Mas faltava ser mais criativo. E o time pernambucano só conseguiu isso quando entraram Lelê e Wallace Pernambucano. Fazendo a bola correr um pouco mais, o Náutico ganhou terreno e conseguiu reduzir a desvantagem aos 28. Numa cobrança de escanteio, Wallance cabeceou em cima de Robinho. Mas ela sobrou na medida para Ortigoza soltar uma bomba e balançar as redes.

O mesmo Wallace Pernambucano voltou a assustar o Bragantino apenas três minutos depois num chute de fora da área. Alex Alves espalmou para fora. Vendo o ímpeto do adversário renovado, o Bragantino encolheu-se apenas esperando alguma chance de contra-ataque. E ela chegou bem clara aos 38 num cruzamento de Fernandinho da linha de fundo para Magno, livre de marcação chutar fraco e facilitar a vida de Bruno, que fez a defesa.

Ficha do jogo:

Bragantino
Alex Alves; Buiú, Lázaro, Guilherme Mattis e Fabiano; Adenilson, Magno Ribeiro e Vitinho (Fernandinho); Rafael Chorão, Marquinhos (Leo Jaime) e Matheus Peixoto (Adriano Paulista). Técnico: Marcelo Veiga.

Náutico
Bruno; Bryan, Camutanga, Sueliton e Assis; Josa, Jiménez (Lelê) e Luiz Henrique; Robinho, Dudu (Wallace PE) e Ortigoza. Técnico: Márcio Goiano.

Campeonato Brasileiro da Série C (jogo de ida das quartas de final). Local: Estádio Nabi Abi Chedid, Nabizão, em Bragança Paulista (SP). Árbitro: Anderson Daronco (RS) FIFA.
Assistentes: Rafael da Silva Alves (RS) e Jorge Eduardo Bernardi (RS), ambos da CBF. Gols: Vitinho, aos 29; e Marquinhos, aos 46 do primeiro tempo. Fabiano, aos nove; Ortigoza, aos 28 do segundo. Cartões amarelos: Fabiano, Adenilson, Marquinhos, Buiú, Jiménez e Camutanga.

Fonte – https://blogs.ne10.uol.com.br/torcedor/2018/08/18/nautico-perde-e-tem-prejuizo-de-dois-gols-para-tirar-do-bragantino/

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.