Bom Jardim Notícias.com

CAVIAR, O QUE É, PORQUE CUSTA CARO E POR QUE NAO DEVEMOS COMER?

CAVIAR, O QUE É, PORQUE CUSTA CARO E POR QUE NAO DEVEMOS COMER?

Nas altas rodas socialites é chique ter caviar no cardápio e quando se fala nessa iguaria já vem a ideia de luxo e riqueza. Nossa sociedade tem muitos condicionamentos:

  • isso é chique e isso é vulgar
  • isso é bonito e isso é feio
  • isto é de luxo e aquilo é brega

Até que ponto as ideias que nossa cultura tem transmitido, ou que a mídia nos vende, devem ser assimiladas?

Quantos alimentos da alta gastronomia produzidos e vendidos pelo homem a preço de ouro movem uma engrenagem de crueldade, futilidade e desperdício de energia e vidas? Este é o caso do caviar, para saber mais acompanhe esta matéria:

1. O que é caviar?

O caviar é um alimento constituído basicamente das ovas não-fertilizadas de peixes selvagens, das espécies de esturjão, principalmente que vivem no Mar Cáspio e seus afluentes.

Esse alimento não possui nenhum aditivo, corante ou conservante. As ovas podem ser frescas ou seja, não-pasteurizadas ou também pasteurizadas, tendo estas menor preço. Essas ovas podem ser comercializadas no mercado europeu ocidental com o preços exorbitantes. O caviar é considerado alimento gourmet e de alta gastronomia. Existem produtores que criam esturjões em aquacultura.

2. Ovas de outros peixes, vendidas como caviar

Atualmente, dependendo dos países e das legislações nacionais, o caviar pode denominar uma série variada de produtos sucedâneos (substitutos parecidos) de caviar, como as ovas de:

  • salmão
  • truta
  • lumpo

3. Esturjão em ameaça de extinção

Depois do tubarão-baleia, o esturjão é o maior peixe de água salgada do mundo, sendo encontrado no Mar Cáspio.

A produção e comercialização do caviar é uma das causas do esturjão estar em vias de extinção, devido à pesca excessiva dele no mar Cáspio. O comércio de ovas de esturjão no mar Cáspio é insustentável, segundo conclusão da comissão de aconselhamento científico da Convenção sobre o Comércio Internacional de Espécies Ameaçadas (CITES) das Nações Unidas.

Por conta disso, há aproximadamente duas década, foram criadas algumas recomendações e restrições por esse órgão aos países que pescam o esturjão para comercializar e exportar.

Os países envolvidos na pesca e venda do esturjão são: a Rússia, o Irão, a China, o Azerbaidjão, o Cazaquistão, o Turquemenistão, a Bulgária e a Romênia.

A bacia do mar Cáspio é a fonte da maioria do caviar consumido em todo o mundo.

4. A estupidez em forma de gastronomia

caviar 2

As bolinhas pretas ou rosas e com intenso sabor de peixe são consideradas alimentos requintados. Este requinte provém da matança de fêmeas de esturjão cujos ovos não foram ainda fertilizados.

Um esturjão pode demorar entre seis a 25 anos para atingir a maturidade sexual e as fêmeas de muitas espécies deste peixe reproduzem-se apenas a cada três ou quatro anos.

Os efeitos da pesca excessiva deste peixe são de imensa gravidade, uma vez que estes se reproduzem com pouca frequência e bem tarde. As espécies mais ameaçadas de esturjão são aquelas que produzem as ovas que atingem preços mais altos no comércio, como as dos:

  • esturjão-beluga, que é a origem do caviar beluga
  • esturjão-russo, que está na origem do caviar osetra

Entidades ambientalistas alertam sobre a grande diminuição da população de espécies de esturjão do Mar Cáspio. Isso é resultante da pesca excessiva e também clandestina.

Devido à diminuição das espécies de esturjão, ocorreu um declínio na quantidade de pesca anual destes peixes e, se continuar a pesca excessiva, corre-se o risco de não existir mais espécies de esturjão.

O principal motivo que provocou a diminuição das populações de esturjão foi o fim da antiga União Soviética, esse fato dificultou a fiscalização da pesca das espécies de esturjão.

O anexo I da Convenção sobre o Comércio Internacional de Espécies Ameaçadas determinou que 6 espécies de esturjão ameaçadas de extinção sejam protegidas.

5. A forma cruel, fria e sanguinária que são extraídas as ovas das fêmeas de esturjão

O processo de produção de caviar é complexo e envolve muita crueldade. Para transformar as ovas não-fertilizadas e frescas de esturjão em caviar de qualidade, que precisam ser salgadas e não-pasteurizadas, se realiza as seguintes etapas:

  • Retira-se as ovas de uma fêmea ainda viva (percebam a frieza e crueldade do processo), imediatamente são peneiradas, lavadas e escorridas, triadas, conforme a consistência, tamanho e cor.
  • Depois são salgadas em um tempo máximo de 15 minutos após extração.
  • Em seguida são levemente secas e acondicionadas em latas hermeticamente fechadas, onde pode ocorrer processos de maturação.

Para tudo isso ocorrer, a fêmea de esturjão é capturada viva, levada até uma mesa de metal onde atordoada, ela é lavada. O seu ventre é então aberto com precisão, com ela viva, pois morta liberaria toxinas nefastas nas ovas, então o saco de ovas é extraído, lavado e de imediato pesado.

Depois a fêmea é morta e encaminhada para processamento, para a produção e comercialização de sua carne.

No caso dos esturjões de aquacultura, tem-se adotado a remoção cirúrgica das ovas, sem a morte das fêmeas para que elas continuem a produzir mais durante o seu tempo de vida.

6. O caviar utilizado na Indústria Cosmética = Beleza com crueldade animal

O caviar além de ser utilizado na alta gastronomia é também ingrediente da formulação de produtos cosméticos, para tratamento de rejuvenescimento da pele, devido à uma substância nutritiva chamada vitelline, rica em fosfolípidos e fosfoproteínas, constituintes essenciais das células.

Lembrando que estes produtos envolvem beleza com crueldade animal.

7. Preço do caviar

O comércio de caviar movimenta cerca de milhões de dólares anuais.

O preço dessa “iguaria”, só para se ter uma ideia, chega a R$ 6 mil reais ou até mais, por uma lata de caviar de 125 gramas.

8. Caviar Vegano – três receitas

Para conscientizar e incentivar as pessoas à uma alimentação consciente, sem ostentação, desperdício e sacrifício animal, que tal compartilhar essas receitas, que além de criativas, são nutritivas e econômicas e, o que é melhor, não envolvem crueldade animal.

Confiram!

8.1. Receita de caviar de maracujá (em vídeo)

Neste vídeo Monyka Wanto ensina de uma forma bem-humorada a fazer um caviar de maracujá.

Que ideia genial, não é mesmo? Anotem os ingredientes logo abaixo e vejam como se faz esta receita no vídeo que segue.

Ingredientes: Caviar Vegano de Maracujá

  • 2 g de ágar-ágar
  • 70 g de suco concentrado de maracujá
  • Azeite ou óleo
  • 1 colher de chá de açúcar demerara
  • 1 colher de café de sal

8.2. Receita de Caviar feito de Sagu com Shoyu

Ingredientes

  • ½ xícara (chá) de sagu (150 g)
  • Água
  • ¾ de xícara (chá) de shoyu (150 ml)

Preparo

  • Cozinhe o sagu, para isso o cubra com água e leve ao fogo médio, mexendo de vez em quando, por uns 20 minutos ou até as bolinhas ficarem transparentes
  • Escorra o sagu e lave em água corrente
  • Em seguida, o transfira para uma tigela
  • Logo após isso, junte o shoyu e leve à geladeira por 12 horas
  • Após isso está pronto para consumir como substituto vegano do caviar de origem animal

8.3. Receita de Caviar de Amaranto

Ingredientes

  • 1 batata yacon, cortada em rodelas
  • 1 tomate, cortado em rodelas
  • 20 g de patê de girassol e nori (a receita está logo abaixo)
  • 1/4 xícara (chá) de amaranto (deixe de molho por 4 horas)

Para o Patê de Girassol e Nori

  • 1 xícara (chá) de girassol, germinado de 8h a 12h
  • 1 xícara (chá) de amêndoas, germinadas de 8h a 12h
  • 1 colher (chá) de limão, colocando aos poucos e provando o gosto, para ver estar no agrado
  • 3 folhas de nori
  • 2 dentes de alho, colocando aos poucos e experimentando o sabor
  • 1/4 xícara (chá) de shoyu, colocando aos poucos e provando
  • 1/4 xícara (chá) de água mineral
  • 2 colheres (sopa) de azeite

Modo de Preparo do Amaranto

  • Coloque o amaranto de molho por quatro horas, depois escorra e deixe por mais quatro horas germinando
  • Tempere com salsa, azeite e sal a gosto

8.4. Preparo do Patê de Girassol e Nori

  • Coloque o girassol e a amêndoas no liquidificador, adicione a água e o azeite
  • Bata o suficiente até ficar bem misturado
  • Adicione o nori e gradativamente o alho, limão e o shoyu
  • Bata mais um pouco até ficar homogêneo
  • Montagem do prato:Monte o prato começando com um pouquinho do patê no centro do prato e cubra com um tomate. Depois coloque a batata yacon e repita as camadas por mais duas vezes.Finalize com duas colheres (sopa) do caviar de amaranto

9. A melhor alimentação é a que envolve a compaixão com os animais!

O maior requinte não está em uma comida cara, às custas do sofrimento e morte de um animal, mas na atitude consciente de não estar colaborando para isso.

Utilizando o discernimento, a criatividade, a sensibilidade e a razão, podemos encontrar formas de não fazer parte dessa crueldade e criar cardápios sustentáveis, éticos e saudáveis!

Fonte – https://www.greenme.com.br/alimentar-se/alimentacao/7094-caviar-como-feito-nao-comer-porque

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.