Bom Jardim Notícias.com

Pílula reduz contágio de HIV em 73%

São Paulo- Um estudo internacional demonstrou que uma dose diária de medicamento reduz em até 73% o nível de contágio do vírus causador da AIDS.

A pesquisa, liderada pela Universidade de Washington e financiada pela fundação Bill & Melinda Gates, é uma grande prova de que a chamada “profilaxia pré-exposição” é uma forma eficiente no combate ao HIV.

método usado, como o próprio nome indica, significa que os indivíduos do estudo foram tratados com medicação antes de serem expostos ao vírus- e não depois.

O estudo foi realizado no Quênia e em Uganda com 4.758 casais bastante específicos: nos quais uma das pessoas era portadora do vírus e a outra não. Isso significa que os pesquisadores estavam lidando com um grupo de alto risco de contágio, frequentemente exposto ao vírus. Este é o maior estudo de profilaxia pré-exposição já realizado até hoje.

Os participantes foram divididos em três grupos: um deles recebeu uma dose diária da pílula Truvada– um medicamento antirretroviral; o segundo recebeu também a dose diária de Truvada combinada a outra droga, a emtricitabine; o terceiro recebeu apenas placebo.

O estudo era duplamente vendado- o que significa que os participantes não sabiam o que estava tomando e nem os médicos lidando diariamente com eles ao longo da pesquisa sabiam qual medicação estavam fornecendo. Além disso, todos receberam orientação de uso de preservativos e meios de evitar o contágio.

Os resultados foram impressionantes: aqueles que tomaram Truvada tiveram 62% menos infecções do que o grupo do placebo- enquanto aqueles com os dois medicamentos tiveram taxa de 73% menos infecções por HIV.

A diferença entre o grupo de placebo e o de medicamento é tão grande que, na semana passada, a Study Data and Safety Monitoring Board (DSMB), um grupo independente que checa a veracidade da pesquisa, recomendou que os dados fossem divulgados e que todos os pacientes recebendo placebo passassem imediatamente a receber medicação.

Os dados obtidos são uma grande prova de que a profilaxia pré-exposição reduz o risco de contágios e estão de acordo com resultados de um segundo estudo feito em Botswana. O TDF2 avaliou 1200 adultos sexualmente ativos e constatou que aqueles consumindo Truvada possuíam 63% menos chance de infecção.

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta