Bom Jardim Notícias.com

ATESTADO DA LIBERTAÇÃO – 19 DE JULHO 1871 – BOM JARDIM-PE

EXCLUSIVO INÉDITO

 

ATESTADO DA LIBERTAÇÃO

Dando cumprimento a uma Portaria de Sua Ex­celência o Senhor Presidente da Província, sob data de vinte (20) de Junho de 1871, expedida Câmara Municipal do Limoeiro, mandando ins­talar o Município, foi pelo Pró Presidente da a Câmara Municipal da vila do Limoeiro o Te­nente Coronel Severino Alexandre Villarim ins­talado no dia 19 de Julho 1871 o novo Muni­cípio do Bom Jardim, conforme se vê na ata autentica, lavrada para esse fim que transcrevemos, verbo ad-verbo:

”  Ato do instalação da Vila de Bom Jardim, Comarca do Limoeiro – Aos dezenove dias do mês de Julho do ano do Nascimento Nosso Senhor Jesus Cristo de mil oitocentos e setenta hum, qüinquagésimo da Independência e do Império do Brasil ,nesta Povoação do Bom-Jardim, Comarca do Limoeiro, Província de Pernambuco na condição destinada Poço Municipal da Nova Vila criada pela Provincial numero novecentos e vinte dois de dezenove de maio do ano próximo pretérito, onde se achavam  A Presidente da Câmara Municipal da Villa do Limoeiro o Tenente Coronel Severino Alexandre Viilarim, Secretário da mesa Câmara adiante nomeado, os Vereadores eleitos Capitão Caetano Luiz Colaço,  Padre Severino Benício José do Aragão, Capitão João Felipe de Melo, Tenente Nicolau Antonio Duarte, Capitão João Francisco Xavier da Fonseca, José Francisco Cordeiro de Arruda, Francisco Maurício da Matta Ribeiro, pessoas gratas e povo da Freguesia do Bom-Jardim, para assistirem a instalação da mesma Villa na forma do Decreto de treze de Novembro de mil oitocentos e trinta e dois e da Portaria de Sua Excelência o Senhor Presidente da Província sob data de vinte de Junho próximo passando,expe­dido a Câmara Municipal do Limoeiro, mandando instalar o Município, deferir juramento da posse dos Vereadores, eleito. Pelo dito Presidente foi ordenado que leia a citada Lei Provincial, do teor seguinte copia  Lei numero novecentos e vinte e dois O Desembarcador Francisco de Assis Pereira Rocha, Vice-Presidente da Província. – Faço saber a todos 0s seus habitantes, que a Assembleia Legislativo Provincial decretou e eu sancionei a resolução seguinte – Artigo primeiro fica criada na comarca do Limoeiro o Município do Bom-Jardim o elevada a categoria de Villa e povoação do mesmo nome – Artigo segundo O novo Município compreendera todo território que parente com freguesia do Bom-Jardim – Artigo terceiro • Ficarão revogados as disposição  em contrário – Mondo por tento a toda autoridade a quem conhecimento e execução da presente resolução pertencer, que cumpram e faça cumprir tão inteiramente como nele se contem – O Secretário interino da Presidência desta Província o faça imprimir
publicar e correr – Palácio da Presidência de Pernambuco, dezenove de Maio de mil oitocentos e setenta, quadragésimo ano da
independência o do Império – Francisco de Assis Pereira Rocha – Selada e publicada a presente resolução nesta Secretário da Presidência de Pernambuco  aos dezenove de Maio de mil oitocentos e setenta – Secretário Interino Elias Frederico de Almeida e Albuquerque – conforme – Francisco Lúcio de Castro – conferi • Miranda Coutinho. Findo a leitura o Presidente pronunciou um discurso onôlogo ao ato, o conduziu levando  viva a sua Majestade o Imperador, a Família imperial a Princesa Imperial Regente a Assembleia Provincial a Província de Pernambuco e “ao
novo município do Bom-jardim, que declarou instalado, sendo os vivas entusiasticamente correspondido pelos pessoas presente ao som da girândolas – Em seguida passou o Presidente a deferir aos vereadores mencionados o juramento do que trata o Artigo dezessete da Lei primeiro de Outubro de mil oitocentos e vinte e oito sobre os Santos evangelhos em que puseram as mãos direita, prometendo desempenhar as obrigações do Vereadores da Vida de Bom-Jardim, de promover quanto em si coubesse os meios de sustentar, a felici­dade pública e lhes deu posse dos lugares para que haviam sido Elei­to, do que tudo para constar mandou lavrar este suto que vai assinado pelo Presidente, Vereadores juramentado se pessoa presentes, e será publicado por Editais – Eu Antônio José Pestana – Secretário da Câmara o escrevi – Severino Alexandre  Villarim – Presidente da Câmara do Limoeiro – Caetano Luiz Colaço, Presidente da nova Câmara – João Felipe de Melo, Vereador, Padre Severino Benicio Jo­sé do Aragão – vereador, Nicolau Antonio Duarte – Vereador, João Francisco Xavier da Fonseca – Vereador, José Francisco Cordeiro de Arruda – vereador, Francisco Maurício da Matta Ribeiro – Vereador, O Vigário Antonio lygino de Holanda Cavalcante Chacon – José António Pestana capitão da guarda Nacional – Padre Eloi da Cunha Souto Maior  – Manoel Marinhe Cavalcanti de Albuquerque – Ale­xandre Correia de Castro – Antonio Gomes da Costa. alteres – João Lopes Delgado Leal, Sub-Delegado – S. – João Barbosa do Rego Silva, Sub-DeIegado S. – Francisco de Paula Gomes dos Santos, Sub- Delegado S – Leonardo Manoel de Figueiredo – Antonio Ferrei­ra da Silva, alfet’s – Antonio Cláudio Vieira de Morais • Eloi da Cunha Souto Maior, Escrivão do Juiz de Paz Feliciano Pereira de Lira Lopes, Tenente da guarda Nacio­nal – Roberto Barbosa da Silva, negociante • Euzobio Joaquim; da Silva Monta – Horeon Bom da Cunha Souto Maior – Urbano To- lentino Figueiredo – Claudino Augusto de Lages – Firmo da Mota
Silveira • Florentino da Cunha Souto Maior – Joaquim Francisco – Joaquim Gonçalves da Costa Lima Júnior e Joaquim Floripês da Cunha O Decreto que o separou do Município do Li­moeiro (deu-lhes  os seguintes limites:

Confina ao norte com o Estado da Paraíba, na freguesia do Natuba, pelas águas pendentes da cordilheira que separa Pernam­buco daquele estado. Nos seguintes lugares • Alto do Natuba, Serra Verde, Jnpy, Matinadas, Serra dos Orondongos (onde está a povoação de Umbuzeiro). Oratório. Mata virgem Serra da Cachoeira Até encontrar os limites de Taquaritinga ao Oeste com o Município Taquaritinga pelos  lugares Lagoa da Vaca, Manso do Algodão até a capivara ; ao sul com o Município do Limoeiro, pelo rio Capibaribe até encontrar o povoado de São Vicente da pedra tapada onde segue na estrada do imbe. Jenipapo lagoa torta para ir ao sair passasunga, e pelas terras do engenho pelo carro da telha.

continua ..até a estrada que vai a Bizarra, e Deise legur à Lagoa vermelha terminando esse limite em Tamataupiziha; este com o Muni­cípio de Nazaré (freguesia de Vicência e Tracunhaém, desde o lugar guia até a Serra da Caueira com o Município de Timbauba, na freguesia de São Vicente, pelas Serras Mascarenhas e Meirim.

Documento doado por Sr. Noé Souto Maior

Artigos Relacionados

1 Comentário

  1. silvana
    25 de fevereiro de 2014 às 17:31 Responder & darr;

    como posso ter uma cópia desse atestado de libertação?

Deixe uma resposta