Bom Jardim Notícias.com

Ir ao Cristo é mais caro do que visitar a Torre Eiffel

Ir ao Cristo é mais caro do que visitar a Torre Eiffel

Copa do Mundo e UPPs deixam Rio mais caro do que principais capitais do mundo

Ir à Torre Eiffel ou à Estátua da Liberdade custa menos do que visita ao Cristo Redentor

A proximidade com a Copa do Mundo de 2014 e a política de pacificação em morros aumentaram os preços na capital fluminense. Para subir o morro do Corcovado, é preciso desembolsar R$ 36. O valor está acima do que turistas pagam para visitar a Torre Eiffel, em Paris. Por lá, a entrada mais cara custa 9,5 euros (R$ 21,18).

O preço do segundo passeio mais procurado no Rio, o bondinho do Pão de Açúcar, também está salgado. Enquanto se gasta R$ 44 para conhecer o morro carioca, os turistas que chegam à Estatua da Liberdade não gastam mais que R$ 30 (incluindo os custos com a balsa que leva até o monumento).

Após reajuste de 12%, a tarifa de táxi no Rio se tornou a mais cara do país. Para efeito de comparação, uma viagem de 6 km em Dubai, nos Emirados Árabes Unidos, custa cerca de R$ 8,45 (US$ 5,45); no Rio de Janeiro, a mesma corrida não sai por menos de R$ 11,68 (US$ 7,60).

O aumento da tarifa do metrô neste ano superou no Rio os 10%, quase o dobro da inflação oficial. Andar de metrô na Cidade Maravilhosa está mais caro do que em São Paulo, Los Angeles e Cidade do México. O valor de uma passagem no Rio (R$ 3,10) compraria sete bilhetes (R$ 0,40) em Buenos Aires, na Argentina.

Os preços de hospedagens em hotéis cariocas aumentaram 28% nos últimos 12 meses, de acordo com índice da Hotels.com. Em grande parte, aponta o documento, resultado da valorização da moeda brasileira, da economia em expansão e do anúncio da Copa do Mundo. Passar alguns dias em quartos de hotéis quatro estrelas da cidade está mais caro que ficar em um hotel da mesma classificação em Londres.

Para os trabalhadores do Rio de Janeiro que precisam fazer suas refeições fora de casa, as despesas com alimentação pesaram no bolso. Segundo a Assert (Associação das Empresas de Refeição e Alimentação Convênio para o Trabalhador), de janeiro a dezembro de 2010, enquanto os paulistas gastaram 14,32% a mais, as refeições no Rio ficaram 30,2% mais caras. Segundo Alex Agostini, economista-chefe da Austin Ratings, a alta se atribui ao aumento dos alimentos.

O Brasil é o segundo maior produtor mundial de carne bovina, mas nem por isso os preços chegam mais baratos aos consumidores cariocas. Quem quiser jantar um belo filet mignon na Cidade Maravilhosa tem de desembolsar, em média, R$ 34,45 em restaurantes da zona sul. Em Montevidéu, capital do Uruguai, também grande produtor de carne bovina, o preço do filet mignon não passa de R$ 17,38.

O Rio tem a maior malha de ciclovias do Brasil (160 km). Sua versão na Europa é Amsterdam (Holanda), que conta com 400 km de ciclovias. Quem deseja conhecer a capital holandesa em uma bike gasta, em média, 9,50 euros (R$ 21,18). Em terras cariocas, o aluguel em lojas, metrô, orla ou na lagoa Rodrigo de Freitas custa ao menos R$ 30 (o dia inteiro).

A região de Gran Via concentra grande parte dos cinemas de Madri, capital espanhola. Enquanto na capital fluminense, o cinema mais moderno custa R$ 23, em Madri, os espanhóis podem conferir as estreias nas telonas por menos de 7,80 euros (R$ 17,39).

R7

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta