Bom Jardim Notícias.com

Adolescentes, internet e depressão: quanto mais ligados, pior

Adolescentes, internet e depressão: quanto mais ligados, pior

Quantos mais ‘likes’, mais felicidade. Quantas mais horas nas redes sociais, mais infelicidade. Os jovens dos dias de hoje estão completamente dependentes das plataformas digitais, deixando-se afetar por interações – especialmente pela carência das mesmas – e pelas publicações feitas por terceiros.

O risco de depressão associado ao uso de redes sociais é já um dado adquirido por parte da ciência, mas um novo estudo vem reforçar a ideia com porcentagens preocupantes sobre a realidade atual.

Publicada na revista científica Clinical Psychological Science, a investigação da Universidade de San Diego (nos Estados Unidos), revela que as meninas que passam mais do que cinco horas por dia nas redes sociais apresentam um risco de depressão 71% superior quando comparadas com as que usam estas plataformas por tempos mais curtos.

Apesar do impacto negativo destes aplicativos e sites afetar tanto eles como elas, é o sexo feminino aquele que se mostra mais vulnerável às pressões estéticas, conta a revista Veja, destacando que as jovens que entram nas redes sociais todos os dias são 14% mais propensas a ter depressão.

Depois de analisarem mais de 133 mil estudantes, os cientistas norte-americanos conseguiram detectar que os adolescentes que passam menos tempo online e que têm uma melhor vida social (com contato físico e não digital) apresentavam menos sintomas depressivos e suicidas do que aqueles que estão sempre ativos nas redes sociais.

Apesar do estudo estar centrado apenas nos adolescentes norte-americanos, as conclusões obtidas conseguem espelhar uma realidade global.

https://www.noticiasaominuto.com.br

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta