Bom Jardim Notícias.com

Pais são essenciais para que filhos pratiquem atividade física

Pais são essenciais para que filhos pratiquem atividade física

Diversos estudos vêm mostrando que são elevadas as taxas de sedentarismo nas populações (BARETTA, BARETTA & PERES, 2007; DIAS-DA-COSTA, HALLAL, WELLS, DALTOÉ, FCUCHS, MENEZES & OLINTO, 2005; HALLAL, VICTORA, WELLS & LIMA, 2003).

Ainda que a prática de atividade física no período de lazer em adultos pareça estar estabilizada e até aumentando, como em alguns países europeus (BRUCE & KATZMARZYK, 2002; STAMATAKIS, EKELUND & WAREHAM, 2007), a realidade observada é ainda preocupante. Em jovens, estudos têm mostrado diminuição na atividade física, principalmente em períodos tardios da adolescência (NELSON, NEUMARK-STZAINER, HANNAN, SIRARD & STORY, 2006). Especificamente para esta faixa etária o fenômeno do “tracking” parece ser importante, pois o comportamento ativo na adolescência tem se mostrado associado à manutenção da prática de atividades físicas na idade adulta (AZEVEDO, ARAÚJO, COZZENSA DA SILVA & HALLAL, 2007a).

Desta forma, uma atenção para a atividade física nesse período da vida deve ser enfatizada. Entre os fatores associados à prática de atividades físicas nos jovens destaca-se na literatura o suporte social, caracterizado na maioria das vezes pelo apoio dos pais, que tende a assumir papel importante no comportamento ativo.

Pais são essenciais para que filhos pratiquem qualquer atividade física, visto que essa participação acontece de inúmeras maneiras, tanto logística e financeiramente, quanto por meio do estímulo e do modelo passado dentro de casa (RAUDSEPP, 2006), onde as relações parentais e para com os filhos podem contribuir na consolidação do hábito de ser ou não ativo. Por outro lado, um recente estudo de revisão sobre o tema concluiu não haver consenso entre a associação da prática de atividade física dos pais com a prática dos filhos, embora a maior parte dos estudos identifique uma associação positiva entre tais comportamentos. (SEABRA, MENDONÇA, THOMIS, ANJOS & MAIA, 2008a).

Nesse sentido, o objetivo do estudo foi avaliar a associação entre a prática de atividade física no lazer dos pais e a participação dos filhos em esportes ou prática de exercícios orientados. Foram avaliadas ainda as associações entre as variáveis de atividade física e variáveis demográficas e socioeconômicas.

Resumo

O objetivo do estudo foi avaliar a associação entre a prática de atividade física no lazer dos pais e a participação de seus filhos em esportes ou prática de exercícios orientados. Foram avaliadas ainda as associações entre os indicadores de atividade física e variáveis demográficas e socioeconômicas. Foi realizado um estudo transversal, de base populacional, na cidade de Pelotas-RS. Um total de 972 indivíduos de 20 a 69 anos foi entrevistado.

A prevalência da prática suficiente de atividades físicas no lazer entre os adultos foi de 30,2% (IC95% 27,3; 33,1). Os homens foram significativamente mais ativos do que as mulheres (p < 0,001). Entre os entrevistados, 384 indivíduos relataram ter ao menos um filho com idade entre seis e 18 anos. A prática de esportes e atividades físicas orientadas entre crianças e adolescentes (N = 675) foi de 25,6% (IC95% 22,3; 28,9). Evidenciou-se associação direta e significativa entre o nível econômico e prática de atividades físicas dos pais e dos filhos.

Nas análises de associação entre a prática de atividades físicas organizadas dos filhos e o nível de atividades físicas dos pais, as diferenças encontradas não apresentaram significância estatística, embora para a análise geral o valor P encontrado tenha sido limítrofe (p = 0,053). Apesar de este estudo não encontrar uma clara associação entre a prática de atividades físicas de pais e filhos, o estímulo à prática de atividade física entre crianças, jovens e adultos deve ser ampliado, e mais estudos sobre o efeito das relações sociais na adoção de comportamentos saudáveis devem ser priorizados.

Autores: Inácio Crochemore Mohnsam da SILVA; Alan Goularte KNUTH; Tales Emílio Costa AMORIM; Marina Marques KREMER; Airton José ROMBALDI; Pedro Curi HALLAL; Mario Renato AZEVEDO.

Publicação: Rev. bras. Educ. Fís. Esp., São Paulo, v.22, n.4, p.257-63, out./dez. 2008

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.